Províncias

Novo mercado da Quissala inaugurado no mês de Maio

Um novo mercado,  construído no quadro da reestruturação desses espaços informais, inserido nos projectos de implementação do “PRESILD”, será inaugurado em Maio próximo, no bairro da Quissala, informou o administrador municipal do Huambo, Armando Kapunda.

Vendedoras do Bairro Quissala vão ter melhores condições para vender os seus produtos
Fotografia: Francisco Berenardo

Um novo mercado,  construído no quadro da reestruturação desses espaços informais, inserido nos projectos de implementação do “PRESILD”, será inaugurado em Maio próximo, no bairro da Quissala, informou o administrador municipal do Huambo, Armando Kapunda.
O responsável vez o anúncio durante a visita de constatação do grau de execução das obras das vias de acesso àquela área comercial de grande dimensão, numa altura em que está em curso a colocação do asfalto e o melhoramento das sarjetas ao logo da estrada que liga a cidade ao mercado da Quissala. “A brigada afecta à Presidência da República (BECOM) garante terminar as obras das vias de acesso até Abril próximo, para que a 1 de Maio seja inaugurado o novo mercado, para que os vendedores do actual espaço  informal passem a ter melhores condições de comercialização dos seus produtos”, disse. O empreendimento, erguido no quadro da reestruturação dos mercados informais da província do Huambo, vai comportar duas mil bancadas, 11 lojas convencionais, sapataria, alfaiataria, pastelaria/padaria, peixaria, duas fábricas de gelo, dois talhos, três “snack-bares” e uma farmácia.
O novo estabelecimento, construído numa área de 100 mil metros quadrados, terá igualmente duas câmaras de conservação de produtos, cinco armazéns, uma creche, uma área de recreação para as crianças, área administrativa, posto médico e terá um grupo gerador.
Por seu turno, o chefe da brigada BECOM no Huambo, tenente-coronel Simão Pedro, assegurou que a companhia está reforçada com novos equipamentos, o que vai permitir entregar a obra no prazo acordado com a administração local.
Para o militar, as chuvas estão a contribuir par o atraso da conclusão das obras, mas tudo será feito para que os dois acessos ao novo estabelecimento comercial estejam prontos até ao final do mês de Abril próximo, porque o actual mercado não oferece condições de protecção aos vendedores que ficam ao sol e à chuva.
As obras do novo estabelecimento comercial tiveram início em Outubro de 2007 e estão orçados em 515 milhões de kwanzas. O empreendimento vai proporcionar melhor salubridade e conservação dos produtos.

Tempo

Multimédia