Províncias

Obras da Cidade Universitária sem data para reinício

Victória Quintas | Huambo

As obras da Cidade Universitária da Universidade José Eduardo dos Santos (UJES), que começaram em 2012, continuam sem data de retoma, informou sexta-feira o responsável da Quinta Região Académica, Cristóvão Simões.

Falta de salas nas Faculdade de Direito e de Economia ficou ultrapassada com a reabilitação da estrutura que se encontram degradadas
Fotografia: Francisco Lopes

Localizado no bairro Cambiote, arredores da cidade do Huambo, o Campus Universitário ocupa uma área de 2.500 hectares e, depois de concluído, vai possuir uma capacidade para 250 mil estudantes.
O reitor disse que cerca de 15 por cento do espaço está reservado à construção das faculdades e os outros 85 por cento às zonas verdes e outras dependências. O projecto foi elaborado com base na interligação dos três pilares fundamentais que u­ma universidade deve ter, a vertente académica, investigativa e da prestação de serviços.
A primeira parte, denominada “embrião do projecto”, contempla as estruturas que passaram do Ministério da Reinserção Social para o do Ensino Superior, em 2011.
Esta fase tem as obras paralisadas, devido a um diferendo financeiro entre a empresa  construtora, a Somague, e o dono da obra, o Ministério do Ensino Superior.
“O construtor deixou de trabalhar em 2011, retirou o estaleiro da obra e fechou o recinto", referiu, para adiantar que decorrem conversações com vista a um acordo que resolva o impasse.
No início deste ano, uma delegação multissectorial, constituída por representantes do Ministério do Ensino Superior, construtora, empresa fiscalizadora e responsável pelo equipamento da obra e reitoria da UJES, deslocou-se ao recinto do Cambiote para apurar as condições da empreitada e o eventual reinício dos trabalhos, mas sem resultados palpáveis até ao momento.
Pequenos trabalhos estão em curso de vedação e delimitação de todo o perímetro destinado à edificação da Cidade Universitária, numa extensão de mais de 21 quilómetros.
O problema da investigação científica e dos laboratórios de pesquisa nas unidades orgânicas tem sido objecto de estudos que visam a criação de linhas de pesquisa e de formação de técnicos qualificados.
Esta é uma questão que vai levar algum tempo a ser resolvida de modo satisfatório e frutífero, mas, no âmbito meramente docente, as faculdades têm equipamentos para satisfazer a demanda estudantil.
“A nossa maior dificuldade reside nos cursos de Engenharia Civil, Mecânica, Hidráulica, para os quais temos recorrido aos laboratórios instalados nas empresas de construção civil espalhadas pela província do Huambo”, disse o reitor.
A dificuldade bibliográfica, antes registada, ficou ultrapassada com a disponibilização de livros e revistas científicas para os estudantes. Para muitos casos, disse que os estudantes recorrem à bibliografia disponibilizada na Internet que existe em todas as unidades orgânicas.

Nova Mediateca

A nova Mediateca, recentemente inaugurada no Huambo, é um potente auxílio à pesquisa bibliográfica e deve ser aproveitada e utilizada para fins educativos. A UJES está a instalar na Mediateca do Huambo o programa de caça talentos, intitulado “Universidade Júnior”, realizado em cooperação com a Universidade do Porto. A Universidade José Eduardo dos Santos realiza de 28 de Julho a 23 de Agosto, a segunda edição das jornadas científicas “Agosto Científico”, um acontecimento que visa projectar a instituição por meio da produção e difusão do conhecimento científico e estabelecer um foro de intercâmbio técnico e científico das diferentes áreas do saber.
A decorrer sob o lema “Investigação científica, rumo ao desenvolvimento sustentável”, o acontecimento conta com a participação de profissionais das diferentes áreas do saber, como médicos, engenheiros, economistas, veterinários, juristas, arquitectos, enfermeiros, biólogos e estudantes universitários.
Cristóvão Simões salientou que as áreas temáticas de interesse são abrangentes e contemplam assuntos de impacto para o contexto nacional, com destaque para a Economia, Direito, Medicina, Medicina Veterinária, Ciências A­grárias e da Educação, Enfermagem, Análises Clínicas, Electromedicina, Construção Civil, Arquitectura, Ambiente, Engenharia Informática e de Computadores, Electrónica e Telecomunicações.
As jornadas “Agosto Científico” são realizadas com o objectivo de promover a difusão dos resultados dos trabalhos de investigação, assim como daquelas experiências práticas, que possam resultar em benefícios nas diferentes áreas do conhecimento, incentivar a produção do conhecimento científico a nível da universidade, assim como divulgar os trabalhos científicos elaborados na instituição.

Novos cursos

No presente ano lectivo, a UJES implementou novos cursos de licenciatura em Recursos Hídricos, Informática, Psicologia e Comunicação Social, na Escola Superior Politécnica do Bié, e de Engenharia Hidráulica Mecânica, no Instituto Superior Politécnico do Huambo.
A Universidade lecciona 29 cursos de graduação e cinco de mestrado, iniciados em 2012, que estão em fase terminal. Neste ano lectivo, a UJES possui mais de 11 mil estudantes matriculados e mais de 400 docentes em toda a Quinta Região Académica, não existindo falta de professores nas unidades orgânicas, sendo expatriados 50 por cento dos docentes.
O problema da falta de salas de aulas que se verificava nas Faculdade de Direito e de Economia está resolvido, com a reabilitação de estruturas que se encontravam degradadas.

Tempo

Multimédia