Províncias

Obras do novo cemitério terminam em Dezembro

Justino Victorino

A cidade do  Huambo vai ter um novo  Cemitério Municipal, que será construído na localidade do Belém, com uma área de 30 hectares, anunciou ontem  o administrador municipal, Victor Tchissingiu.

Vista parcial da cidade do Huambo, onde o cemitério municipal não tem capacidade de resposta
Fotografia: Francisco Lopes | Edições Novembro | Huambo

Durante a cerimónia de apresentação do empreendimento, Victor Tchissingiu disse que o empreendimento, que será construído no prazo de seis meses, vai ser erguido para desafogar o Cemitério de São Pedro, “que já denota superlotação”.
“O Governo Provincial está a envidar esforços para, a breve trecho, concluir as obras  do novo cemitério”, disse Victor Tchissingiu, acrescentado que “neste momento os trabalhos estão a incidir na colocação de lancis, abertura de  arruamentos, plantações de árvores, construção da casa de velório , áreas administrativas , capelas , pinturas   entre outros serviços”.
 O governante disse que a cidade do Huambo tem muitos cemitérios, mas grande parte dos quais estão em degradação. “Enquanto aguardamos pela reabilitação de alguns cemitérios estamos a construir um nos arredores da cidade”.
A Administração Municipal do Huambo já identificou três locais para a substituição provisória dos cemitérios de São Pedro e o do Jongolo  de Ngongoinga, cujo processo  foi apresentado às autoridades tradicionais da província para o seu parecer.
Fundado em Maio de 1903, o Cemitério de São Pedro, localizado no bairro com o mesmo nome, possui 25 hectares, divididos em talhões e bem assinalados e datados com etiquetas, conforme recomendam os estatutos da arquitectura funerária.
O soba grande do Huambo, Armando Chimuco Chongolola, louvou a iniciativa da Administração Municipal de construir um novo cemitério, devido ao número elevado de mortes que ocorre diariamente na província.

Tempo

Multimédia