Províncias

Obras sociais melhoram a vida na Calima

Justino Vitorino| Calima

Várias obras sociais entre escolas, centros e postos de saúde e cerca de 50 casas sociais construídas de raiz estão a mudar a vida das populações da comuna da Calima, município do Huambo.

Centros de saúde fazem parte de um leque de projectos sociais em curso na comuna
Fotografia: Adolfo Mundombe| Huambo

Várias obras sociais entre escolas, centros e postos de saúde e cerca de 50 casas sociais construídas de raiz estão a mudar a vida das populações da comuna da Calima, município do Huambo.
A administradora local, Maria Bacia disse ao Jornal de Angola que, nos últimos anos foram construídas na circunscrição 41 escolas, das quais 15 de construção definitiva e 26 comunitárias, que permitiram a inserção de mais crianças no sistema normal de ensino.
Na sede da comuna e arredores estão em construção 50 casas sociais, 25 na aldeia de Malanga e as restantes vão servir para os quadros, entre enfermeiros, professores e funcionários da administração local.
No quadro do Programa de Investimentos Públicos estão igualmente em curso na comuna a reabilitação de várias infra-estruturas sociais e o melhoramento do fornecimento de água potável e energia eléctrica.
A administradora Bacia afirmou que a educação foi um dos sectores que mais se destaca na comuna, com mais dez mil alunos matriculados este ano lectivo, da iniciação ao segundo ciclo do ensino secundário.
Com o recrutamento de mais professores, à luz do concurso público, realizado no ano passado, a circunscrição deixou de registar crianças fora do sistema normal do ensino, cujo sector é assegurado por mais de 200 professores.
Maria Bacia afirmou que todos os alunos da primeira à quarta classe receberam gratuitamente os manuais escolares, o que permitiu melhorar também a qualidade do ensino e a aprendizagem na Calima.
Maria Bacia garantiu que a administração vai continuar a envidar esforços no sentido de apoiar as comunidades na construção de mais escolas comunitárias nas aldeias a medida que for crescendo a população estudantil. A população da Calima é maioritariamente camponesa e dedica-se à cultura de batata rena, milho, feijão, massambala, mandioca, jinguba e hortícolas.
A maioria dos camponeses têm recebido apoio da direcção provincial da Agricultura, com a venda de fertilizantes a baixos preços, situação que tem permitido ampliar as áreas de cultivo.
A comuna tem 15 cooperativas de camponeses e 12 associações de pescadores, que beneficiaram de crédito de campanha cedido pelo Banco Sol para o combate à fome e a pobreza.

Tempo

Multimédia