Províncias

ONG norueguesa prevê alfabetizar milhares de adultos das zonas rurais

A Organização Não-Governamental Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP) da Noruega prevê ensinar a ler e escrever  5.311 cidadãos maiores de 18 anos na província do Huambo, disse no sábado a sua directora, Dag Rune, no município do Ekunha.

Organização vai apoiar a administração do Ekunha na construção de escolas para reduzir o número de crianças fora do ensino
Fotografia: Casimiro José

A Organização Não-Governamental Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP) da Noruega prevê ensinar a ler e escrever  5.311 cidadãos maiores de 18 anos na província do Huambo, disse no sábado a sua directora, Dag Rune, no município do Ekunha.
A responsável da ADPP usava da palavra durante a cerimónia de abertura oficial das "escolas primárias verdes", que vão passar a formar os agentes comunitários municipais em técnicas de protecção do  ecossistema e a sua manutenção para o bem-estar.
O projecto, a ser implementado ainda este ano, abrange principalmente os que residem em localidades rurais da província do Huambo.
No âmbito do programa de erradicação do analfabetismo levado a cabo pela organização que dirige, foram este ano formados 200 alfabetizadores que vão ensinar a ler e a escrever pessoas dos 11 municípios da província. 
Dag Rune disse que a sua ONG  pretende também, ao longo deste ano, apoiar a administração do município do Ekunha na construção  de escolas comunitárias para reduzir o número de crianças fora  do sistema normal de ensino, além de implementar projectos que visam melhorar o saneamento básico na municipalidade e construir latrinas para os habitantes.
Quanto às "escolas primárias verdes", já em funcionamento nas províncias de Luanda, Kwanza-Sul, Lubango, Moxico, Malange, Kwanza-Norte, Lunda-Norte e Bengo, num total de 99 unidades escolares, vão ministrar cursos sobre utilização de fertilizantes orgânicos, plantação de novas árvores em zonas devastadas e formas de melhoramento da actividade agrícola.

Pais mais envolvidos com a escola

Os participantes na Conferência das Comissões de Pais e Encarregados de Educação, realizada na quinta-feira, no município da Kibala, província do Kwanza-Sul, recomendaram uma maior participação dos progenitores e responsáveis no acompanhamento do processo de formação dos seus filhos.
O encontro, em que participaram 120 pessoas dos municípios da Kibala e Mussende, teve por objectivo a partilha de experiências do projecto das comissões de pais e encarregados de educação e a apresentação de ideias e estratégias de sustentabilidade das actividades desenvolvidas pela mesma.
O encontro foi uma promoção da Organização Não-Governamental dinamarquesa Íbis em parceria com a Direcção provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, no quadro do seu programa temático destinado ao reforço da formação e optimização do seu funcionamento. Realizado no anfiteatro da Escola de Formação de Professores do Futuro da ADPP, o encontro abordou temas relacionados com o trabalho de dinamização, papel actual dos pais e encarregados de educação, os desafios do futuro e a sustentabilidade nas actividades. 
A coordenadora do programa de educação da Íbis no Kwanza-Sul, Irene Fredickson, manifestou-se satisfeita com a participação dos pais, acrescentando que a conferência serviu para colmatar as dificuldades encontradas ao longo das actividades das comissões. 
O chefe de secção de apoio social, Joaquim Rede, em representação do director provincial da Educação, considerou que para um melhor funcionamento da comissão de pais é necessário que haja voluntarismo e espírito de entrega e colaboração de todos.

Tempo

Multimédia