Províncias

Parteiras tradicionais põem fim à mortalidade

Justino Vitorino |Huambo

O aumento do número de parteiras tradicionais que dão apoio à maternidade do Hospital da Caála permitiu àquela unidade atingir zero por cento de mortalidade de mulheres gestantes.

A maternidade do hospital do município da Caála realiza mais de uma dezena de partos por dia
Fotografia: Maria Augusta

O aumento do número de parteiras tradicionais que dão apoio à maternidade do Hospital da Caála permitiu àquela unidade atingir zero por cento de mortalidade de mulheres gestantes.
A maternidade está a realizar mais de dez partos por dia nos últimos dias, informou na sexta-feira a chefe de secção daquela unidade clínica. Ângela Vicente referiu que, entre Janeiro e Fevereiro, a maternidade do Hospital da Caála, em parceria com as parteiras tradicionais, efectuou mais de 300 partos. A parceria com as parteiras tradicionais é o meio que a direcção daquele hospital encontrou para auxiliar as técnicas da unidade hospitalar, com vista a melhorar a assistência à mulher grávida e cobrir a falta de quadros nas salas de partos.
A formação de quadros e a redução da mortalidade materno-infantil nas comunidades é uma das grandes prioridades da direcção do hospital.“O auxílio das parteiras tradicionais tem sido um valor acrescentado para nós, o que fez com que alguns turnos deixassem de ter apenas uma trabalhadora na sala de partos”, disse.

Tempo

Multimédia