Províncias

Parteiras tradicionais são formadas na Caála

Estácio Camassete | Caála

Cerca de 200 parteiras tradicionais dos municípios da Caála, Ekunha, Longonjo, na província do Huambo, e de Chipindo, na Huíla, concluíram sexta-feira uma formação técnica.

Bebés nascem com mais segurança
Fotografia: Jornal de Angola

Cerca de 200 parteiras tradicionais dos municípios da Caála, Ekunha, Longonjo, na província do Huambo, e de Chipindo, na Huíla, concluíram sexta-feira uma formação técnica.  A formação foi promovida pela repartição municipal da Saúde da Caála, no âmbito das acções para garantir partos seguros nas comunidades e serviu também para uniformizar as técnicas e modo de tratamento de parturientes.
O chefe da repartição municipal de Saúde, Albino Dumbi Ernesto, afirmou que as parteiras tradicionais são essenciais nas comunidades rurais para evitar que as parturientes percorram grandes distâncias a fim de serem assistidas no parto.Albino Ernesto defende que as parteiras tradicionais devem continuar a melhorar as técnicas que garantam partos seguros nas comunidades rurais.
No município da Caála, o número de partos assistidos por parteiras tradicionais reduziu de forma significativa nos últimos tempos, por as mulheres recorrerem mais aos serviços das maternidades.
Esta situação é resultado das acções de sensibilização e educação sobre a necessidade das mulheres grávidas terem um acompanhamento por especialistas.  Apesar da redução dos serviços das parteiras tradicionais, o responsável garante que as autoridades vão continuar a apoiar com kits necessários para a realização de partos seguros.
Durante a formação, que decorreu no município da Caála, as parteiras abordaram questões como o valor da integração na busca da qualidade de vida, a preparação técnica das parteiras e parturientes para um parto seguro e a triagem e evolução para a identificação do risco, segundo Albino Ernesto.
Os vícios e hábitos que interferem na gravidez e no parto seguro, dados referentes à mortalidade materno-infantil e a necessidade urgente de acções que garantam um parto seguro foram outros assuntos discutidos durante a acção formativa.

Tempo

Multimédia