Províncias

Passar a noite ao relento para ter o Bilhete de Identidade

Estácio Camassete |Huambo

Nesta época do ano, muitos cidadãos são obrigados a passar as noites nos postos de emissão de Bilhetes de Identidade nos municípios do Huambo e da Caála, no âmbito da campanha lançada recentemente pelo Executivo, para serem os primeiros na fila de atendimento.

Campanha de registo gratuito iniciado no final do ano passado foi lançada pelo Executivo para facilitar a vida dos cidadãos mais desfavorecidos
Fotografia: Jornal de Angola

As pessoas preferem pernoitar apesar dos riscos, sobretudo nesta época de chuvas, porque caso contrário é difícil conseguir o documento. No local, as enchentes começam logo às primeiras horas da manhã e quem chega tarde não encontra espaço e volta para casa sem o Bilhete de Identidade.
Os postos trabalham até às 20h00, mas ainda assim muitos não conseguem tratar do documento por causa da grande procura. A solução é pernoitar no local para conseguir uma vaga folgada na fila de atendimento, que começa às 8h00 da manhã.
A responsável dos serviços de identificação da Caála, Maria Livuvu, disse que o lançamento do novo sistema de aquisição gratuita do Bilhete de Identidade está na base das enchentes e das enormes filas que se formam logo na véspera, para ocupar os primeiros lugares.
A partir das 19h00 começam a formar-se as primeiras filas, constituídas maioritariamente por jovens que procuram ingressar no ensino médio e superior, ou concorrer a empregos na função pública, o que acontece habitualmente no início de cada ano, além do recenseamento militar obrigatório, em curso no país. A campanha de registo gratuito começou no final do ano passado e foi lançada pelo Executivo para facilitar os cidadãos desfavorecidos e outros com dificuldades financeiras. 
Por outro lado, Maria Livuvu aponta o reduzido número de postos de emissão de Bilhetes de Identidade na província do Huambo como outra dificuldade dos serviços de identificação.O posto de emissão de Bilhete de Identidade da Caála atende também cidadãos dos municípios de Longonjo, Ucuma, Tchindendje, Ecunha e até da Tchicala Tcholohanga. O posto da cidade do Huambo atende também outros municípios como Bailundo, Mungo, Katchiungo, Londuimbali. Maria Livuvu é de opinião que se deviam criar  postos noutras localidades para descongestionar os poucos que existem na província. Em média são emitidos 150 bilhetes por dia.
A reportagem do Jornal de Angola encontrou às 19h00 no posto de emissão de Bilhete de Identidade do Huambo Firmino Hamuyela que se deslocou do município do Tchipindo, província da Huíla. Queria ser um dos primeiros da fila.Firmino deslocou-se ao Huambo para renovar o seu Bilhete de Identidade caducado no passado mês de Setembro, e depois de duas tentativas falhadas, preferiu tentar a terceira e, por isso, queria ser estar entre os primeiros na fila de atendimento.
No mesmo posto Luísa Tchilepa disse já ter tentado três vezes sem sucesso e por isso veio às 19h00 do dia anterior para esperar até às 8h00 da manhã. Outro cidadão que se encontrava também no posto àquela hora da noite, é José Samutunga, residente no Namibe, mas regressou à Caála, sua terra natal, para renovar o Bilhete de Identidade.
Afirmou que depois de várias tentativas sem sucesso, achou por bem passar a noite no local para resolver a sua situação que já durava há uma semana.

Tempo

Multimédia