Províncias

Passos de gigante nas comunicações

Vitória Quintas|Huambo

O município da Caála conta nos próximos tempos com um centro de tecnologia de informação, cujas obras estão em fase de conclusão.

As tecnoliogias de informação registam grande desenvolvimento no Huambo e está em fase de acabamento o centro da Caála
Fotografia: Francisco Lopes

O município da Caála conta nos próximos tempos com um centro de tecnologia de informação, cujas obras estão em fase de conclusão. Todas as comunas têm cobertura telefónica e está concluída a rede de fibra óptica da Angla Telecom. Os Correios oferecem serviços de fax e Internet, além de um “cyber” aberto ao público, muito frequentado pelos estudantes. Os transportes chegam a todas as áreas da província.

 Na área dos Transportes e Comunicações, o grande problema das autoridades do Huambo é a degradação das instalações da aerogare do Aeroporto Albano Machado. O director provincial dos Transportes, Correios e telecomunicações, Simão Fontes, anunciou ao nosso jornal que já existe um plano geral para as obras de manutenção. 
O projecto, disse Simão Fontes, inclui a reabilitação das áreas dos passageiros e a ampliação da pista da aterragem, já que o Aeroporto Albano Machado é alternativo ao Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro em Luanda. A qualquer momento começam as obras.
Questionado sobre o possível encerramento do aeroporto enquanto decorrerem as obras, Simão Fontes disse que o Governo Provincial programou as obras de reabilitação de forma a manter o tráfego aéreo: “o governador da província está a fazer tudo para que as obras comecem o mais depressa possível, mas o aeroporto continua a funcionar embora com debilidades” referiu.
O director da Empresa Nacional de Navegação Aérea (ENANA) no Huambo, Januário Pena, disse que desde que o aeroporto Albano Machado abriu ao tráfego, a pista nunca teve obras de requalificação.
Januário Pena referiu que a pista do aeroporto necessita de uma reabilitação profunda, tendo em conta a sua degradação e antiguidade: “a prioridade de reabilitação vai para a pista por estar muito velha”, disse o director da ENANA.   
 
Cobertura telefónica em todos as comunas   

A província do Huambo está totalmente coberta pela rede Unitel e pela rede fixa da Angola Telecom. Simão Fontes informou que o sector das telecomunicações “deu passos significativos nos últimos tempos”. E deu um exemplo: “acompanhamos recentemente o lançamento do sistema digitalizado da Movicel. Em relação à Angola Telecom temos todas as comunas ligadas através do sistema liga-liga”. 
O serviço liga-liga foi montado pela Angola Telecom para cobrir as localidades de difícil acesso, mas funciona sob gestão de particulares. 
A rede metropolitana da fibra óptica no Huambo, da Angola Telecom, está concluída. A Unitel vai na segunda fase e a sua conclusão está para breve. O director provincial da Empresa Nacional de Telecomunicações, Adriano Muholo, disse que com a fibra óptica já concluída há melhoras na velocidade e no transporte de dados que anteriormente eram deficientes pois dependiam do satélite que para além de acarretar muitos custos, tinha algumas falhas e oscilações quando chovia.
“Temos dificuldades provocadas pelo aumento dos caudais dos rios, que arrastam os cabos. Os empreiteiros que trabalham nas estradas também cortam os cabos e quando isso acontece os clientes da operadora Movicel são prejudicados no serviço de Internet”.
Mas para precaver estes problemas, estão a ser montadas outras fontes de transmissão, denominadas micro-ondas, para responder às necessidades dos clientes quando a fibra óptica tiver algum problema, Adriano Muholo.
Os municípios do Bailundo, Caála e Chicala Cholohanga têm serviços de “toc mais” todos operacionais. Com a instalação da fibra óptica já existem serviços instalados nas comunas do Alto Hama, Calanga, Cuima e Catata. Nos municípios do Chinjenje, Longonjo, Ecunha, Ucuma, Mungo e Londuimbali, o serviço está dependente de algumas configurações. Adriano Muholo disse que a sua empresa tem 59 trabalhadores e uma central de transmissão instalada na cidade do Huambo, com capacidade para quatro mil assinantes.

Tecnologia de informação

O município da Caála conta nos próximos tempos com um centro de tecnologia de informação, cujas obras estão em fase de conclusão. De acordo com o director provincial dos Transporte e Telecomunicações do Huambo, Simão Fontes, o centro vai entrar e funcionamento ainda este ano: “o centro tem duas componentes, uma de formação e outra de lazer, através do sistema de Internet, serviço de correios e serviço bancário”, disse o director.
Simão Fontes referiu que os Correios do Huambo, completamente modernizados, estão a funcionar em pleno e trabalha em “on-line”. Apesar de fornecerem serviços de Internet e fax, os Correios são pouco procurados.
As instalações dos Correios têm um “ciber” que é frequentado por estudantes “e todos os que querem conhecer o mundo”. O “ciber” tem o Portal do Governo onde é possível deixar opinião sobre a governação da província. Para além do Huambo, os municípios do Bailundo e Ukuma têm serviços de Correios.
Para facilitar a investigação dos estudantes, a província do Huambo tem em construção uma biblioteca virtual no âmbito do programa do gabinete do Presidente da República. As obras podem começar ainda este ano, na zona escolar do Bairro Académico.
Simão Fontes disse que aguarda a qualquer instante o início das obras. A biblioteca virtual para além do Huambo, fica acessível a mais cinco províncias. 
Os transportes urbanos da província do Huambo têm vindo a apoiar os alunos do Instituto Médio Agrário do Dango, Instituto de Administração e as duas escolas do primeiro ciclo e a escola primária do Casseque III. Simão Fontes disse que a empresa Bacatral tem feito a transporte dos alunos. A grande preocupação era o transporte dos alunos do Instituto Médio Politécnico do Cachiungo mas já foi solucionado. Há três autocarros para apoiar somente os alunos daquele Instituto.
“Os transportes urbanos são um problema devido à indefinição de paragens. Há dois anos traçamos um programa para instalar as paragens, mas não foi concretizado devido a dificuldades financeiras. Fizemos agora um plano director dos transportes e logística da província, com a definição de rotas e de paragens. Falta apenas a sua apresentação ao Governo Provincial para a sua aprovação” A província do Huambo tem transportes públicos em quatro variantes, urbano, interurbano, interprovincial e intermunicipal.
O mau estado das vias, devido às chuvas, tem limitado os transportes intermunicipais.
“Tínhamos transportes públicos em quase todas as comunas, com excepção do Sambo e Samboto. Infelizmente, com a degradação das vias, tivemos que cancelar várias rotas, pois os autocarros não podem chegar a todas as comunas como pretendíamos”, Disse o director dos Transportes.
O vtransporte interprovincial, funciona sem dificuldades, pois para além das quatro operadoras da província, que são a Bacatral, Rodas em Serviço, AZN e Sagilda, encontram-se também filiadas empresas como a Macon, a SGO e outras.

Tempo

Multimédia