Províncias

Ponte metálica no rio Luvulo retira o Mungo do isolamento

Marcelino Dumbo | Mungo

Uma ponte metálica de 24 metros de comprimento começou a ser instalada esta semana sobre o rio Luvulo, município do Mungo, para facilitar a circulação de pessoas e bens.

Ponte metálica começou a ser instalada esta semana sobre o rio Luvulo
Fotografia: Edmundo Eucílio

Uma ponte metálica de 24 metros de comprimento começou a ser instalada esta semana sobre o rio Luvulo, município do Mungo, para facilitar a circulação de pessoas e bens. A estrada está cortada em consequência do desabamento da ponte anterior em consequência das intensas chuvas que se abatem sobre a província do Huambo.
 A via entre o Bailundo e o Mungo ficou interdita quando a ponte sobre o rio Luvulo desabou, em finais do mês de Dezembro, devido às intensas chuvas que caem quase diariamente na região, isolando o município do resto da província.
A travessia neste momento é feita em pequenas embarcações. Um avião ligeiro disponibilizado pelo Governo Provincial, faz os reabastecimentos ao Mungo e a­poia as populações em situações de emergência, como evacuações de doentes para a capital da província, uma vez que a ligação por terra é impossível.
 O vice-governador da província para a área Técnica e Infra-estruturas, José Paulo Kai, assegurou, ontem, que a ponte sobre o rio Luvulo deve abrir ao trânsito até ao próximo dia 24, para que a circulação seja resposta.
Depois de concluída, a nova ponte tem capacidade para suportar até 50 toneladas de carga. As obras, a cargo da empresa construtora Monte Adriano, estão avançadas, e contam com o apoio da Direcção Provincial das Obras Públicas e do Instituto Nacional de Estradas de Angola.
 Paulo Kai informou que na próxima semana são definidos os prazos para a construção de pontes definitivas sobre o rio Luvulo e sobre o rio Cusso. Vão também arrancar obras de melhoramento da estrada.
 O director provincial do Instituto Nacional de Estradas de Angola, Inácio Satambue, afirmou que dos 60 quilómetros de estrada entre o Bailundo e o Mungo, falta asfaltar apenas oito.
Inácio Satambwe garantiu que as obras vão começar no próximo mês de Março e são extensivas à comuna de Calussinga, no município do Andulo, província do Bié, tendo em conta a sua importância económica.
 O administrador em exercício do município do Bailundo, Calixto Cesário Tchisalukila, disse à nossa reportagem que antes da instalação da ponte metálica sobre o rio Cusso, a circulação das populações do Bailundo, Monte Belo, Bimbe e Mungo era muito difícil.
 A vida no município do Mungo ficou mais difícil porque os preços dos principais produtos do mercado local subiram, devido às dificuldades na travessia do rio.
 “As populações e seus bens são obrigadas a pagar preços que variam entre 50 e 250 kwanzas por cada travessia nas canoas e outras embarcações”, disse Adriana Handanga, que não escondeu a sua satisfação com a montagem de uma nova ponte sobre o rio.  De acordo com as autoridades locais, a situação pode piorar, caso as obras se arrastem por mais tempo, porque o caudal do rio continua a subir, à medida que caem as chuvas.
No mês de Dezembro quatro pessoas foram levadas pela forte corrente do rio quando tentavam atravessar, e os seus corpos nunca apareceram, devendo estar enterrados no lodo.

Tempo

Multimédia