Províncias

População empenhada em erradicar a cólera

Estácio Camassete | Huambo

A chefe do Departamento de Saúde Pública do Huambo, Georgina Figueiredo, elogiou ontem o engajamento das populações dos bairros na luta contra a cólera. Georgina Figueiredo afirmou que a Direcção Provincial de Saúde leva a cabo, todas as semanas, campanhas de sensibilização das populações dos bairros sobre a necessidade de erradicação da cólera na província.

Panorâmica da cidade do Huambo onde a população dos bairros está a ser sensibilizada no sentido de evitar a propagação da cólera
Fotografia: Jornal de Angola

A especialista em saúde pública referiu que desde o aparecimento do surto de cólera na província do Huambo, em Novembro passado, a doença já matou oito pessoas, em casos extra-hospitalares. Os outros 134 foram controlados imediatamente após a entrada nas unidades hospitalares.
No bairro do Benfica Cardoso, os moradores prometeram continuar a colaborar com as autoridades sanitárias da província, participando nas campanhas, palestras e actividades de saneamento do meio, para que a cólera seja eliminada o mais rapidamente possível.
Maurício José, morador, afirmou que estão todos atentos ao surto de cólera e a população tem aderido às campanhas de sensibilização e de limpeza que se realizam todos os fins-de-semana no bairro.
As medidas recomendadas pelas unidades sanitárias estão todas relacionadas com a higiene familiar e da área habitacional, o tratamento da água para consumo, construção de latrinas, além de outras que contribuem para a erradicação da doença, segundo Georgina Figueiredo.
A chefe do Departamento de Saúde Pública disse que as atenções do programa de luta contra a cólera estão direccionadas para o bairro Benfica por ser o que registou maior número de casos.
Georgina Figueiredo sublinhou que a educação de saúde tem como objectivo informar as pessoas como devem proceder para prevenir a cólera, tratando a água, os utensílios da cozinha, saber preparar o soro fisiológico em caso de aparecer algum caso, para evitar a desidratação do indivíduo.
Georgina Figueiredo garantiu que, fruto do trabalho que está a ser desenvolvido nas comunidades e bairros periféricos, o Centro de Tratamento de Cólera montado na província do Huambo já não recebe qualquer caso há alguns dias. “O principal cuidado que se deve ter na luta contra a cólera é com a água que bebemos, com o saneamento básico e com a lavagem dos alimentos que consumimos”, alertou a especialista. Durante as campanhas são projectados filmes que mostram a propagação da doença e as medidas a tomar em caso de se registarem sintomas.

Tempo

Multimédia