Províncias

Prédio da Anghotel em risco de desabar

Victória Quintas/Huambo

O prédio da Anghotel, localizado na parte baixa da cidade do Huambo, onde actualmente vivem mais de 90 famílias, está na iminência de desabar, devido ao estado avançado de degradação, disse ao Jornal de Angola o director do Gabinete Provincial de Infra-Estruturas, arquitecto Francisco Neto.

Fotografia: DR

O responsável frisou que os moradores do edifício “de-vem ser evacuados urgentemente” para se evitar o aumento de danos nas estruturas do prédio.“A canalização da água está corroída e é antiga. A água já não sobe para os apartamentos, e os moradores estão a fazer outras canalizações no exterior do prédio, com o agravante, de em cada andar estarem a ser colocado um tanque de água.Portanto, estamos diante do aumento de peso na estrutura e, consequentemente, o desabamento do prédio”, alertou.

O prédio, explicou o arquitecto, foi atingido por projécteis na guerra ,em 1992, e ficou substancialmente danificado, com incidência no terraço. O mesmo foi concebido para albergar 46 apartamentos e está a ser habitado por mais de 90 famílias.
A sobrelotação do prédio, a falta de manutenção, sobretudo, danificação das redes técnicas, como fossas, drenagem, abastecimento de água, reestruturações improvisadas pelos moradores e antiguidade, são, entre outras, as causas apontadas pelo arquitecto Francisco Neto como factores que podem precipitar o colapso do prédio.
Francisco Neto avançou que, nas reestruturações feitas pelos moradores, ocorreram desvios da rede de esgotos para alguns tubos de respiração e os tubos respiradores das casas de banho passaram a ser de esgotos para a drenagem das águas.
O responsável garantiu que o Governo local “está a envidar esforços para evacuar os habitantes do prédio para um lugar condigno.”

Tempo

Multimédia