Províncias

Primeiros médicos lançados este ano no Huambo

Azevedo Faria | Huambo

A Faculdade de Medicina Humana da Universidade José Eduardo dos Santos (UJES) lança este ano, na província do Huambo, os primeiros médicos, desde que foi criada a Quinta Região Académica, informou ontem o decano em exercício.

Novos especialistas vão ser enquadrados nas diversas unidades sanitárias do país para garantir assistência médica mais humanizada
Fotografia: Eduardo Pedro

António Mendes Sambalundo disse que de um total de 70 estudantes inscritos em 2009, pelo menos 62 estão a terminar os seus trabalhos de fim de curso e a partir do próximo mês de Novembro começam a fazer os exames nas especialidades de medicina geral.
O decano em exercício garantiu que os novos especialistas vão ser enquadrados nas diversas unidades hospitalares da província do país, embora a maioria dos estudantes seja natural de outros pontos do país, com destaque para as províncias de Luanda, Uíge, Bié, Cuanza Norte, Cuanza Sul, Lunda Sul, Moxico e Cuando Cubango.
A Faculdade de Medicina funciona dentro do hospital regional, situação que permite aos estudantes fazerem o estágio em diferentes turnos.
Os exames estatais, que consistem em realizar práticas em diferentes hospitais bem equipados, com um corpo de júri, obedecem a alguns critérios que começam com a prática e terminam com os exames teóricos. O decano em exercício salientou que se o estudante reprova nos exames práticos, não tem acesso a outras avaliações. "Este é orientado a fazer mais tarde o pedido de outros exames por escrito."
No presente ano académico, a Faculdade de Medicina Humana funciona com um total de 43 docentes, dos quais 16 professores nacionais efectivos e colaboradores, 27 docentes cubanos e outros colocados na área clínica.

Bolsas internas

António Mendes adiantou que a maioria dos estudantes beneficia de bolsas de estudo internas e os que mais se destacam beneficiam de bolsas externas, para fazerem o mestrado em Cuba, visto que o pacote usado nas cinco faculdades de Medicina do país é cubano.
O decano em exercício assegurou que a faculdade vai continuar a envidar esforços no sentido de aumentar a população estudantil, formar quadros com qualidade e com rigor científico. A faculdade enfrentou grandes dificuldades, mas hoje muita coisa ficou superada, apesar de haver ainda défice de docentes, sobretudo nos três últimos anos académicos. A falta de uma biblioteca especializada, laboratórios e salas específicas são outros problemas que precisam de ser ultrapassados.

Ensino superior

A UJES foi criada em 2009, no quadro do decreto 7/09, de 12 de Maio, do Conselho de Ministros, que estabelece a reorganização da rede de instituições de ensino superior público, criação de novas instituições de ensino superior e o redimensionamento da Universidade Agostinho Neto, até então a única universidade pública em funcionamento no país.
Afecta à Quinta Região Académica, a UJES abrange as províncias do Bié, Moxico e Huambo, com as faculdades de Medicina Humana, Ciências Agrárias, que lecciona os cursos de Engenharia Florestal e Engenharia Agronómica, e de Medicina Veterinária, Economia e de Direito.
A universidade conta ainda com o Instituto Superior Politécnico, que ministra os cursos de Electrónica, Informática, Arquitectura, Construção Civil, Electromedicina, Enfermagem e Análises Clínicas.

Tempo

Multimédia