Províncias

Projecto "Água para Todos" chega aos centros urbanos

Justino Vitorino | Huambo

A população dos centros urbanos do Huambo, nomeadamente da parte alta da cidade, Rua do Comércio e Zona Industrial da Chiva, já beneficia do programa do Executivo  “Água Para Todos”, fruto da reabilitação da subestação de captação e tratamento, sobre o rio Culimanhala.

Para além de novos sistemas de captação e distribuição de água o projecto prevê a construção de chafarizes nas zonas suburbanas
Fotografia: Victória Quintas|Huambo

A população dos centros urbanos do Huambo, nomeadamente da parte alta da cidade, Rua do Comércio e Zona Industrial da Chiva, já beneficia do programa do Executivo  “Água Para Todos”, fruto da reabilitação da subestação de captação e tratamento, sobre o rio Culimanhala.
O chefe de departamento de Abastecimento de Água e Saneamento, António Quaresma, disse recentemente, ao Jornal de Angola, que as acções actualmente em curso na província do Huambo permitiram reabilitar os centros de distribuição de água da parte alta da cidade, da Rua do Comércio, uma das mais tradicionais da urbe, e da Zona Industrial da Chiva, onde se situam as fábricas de cerveja Cuca (Nocebo) e da Coca-Cola (Cefa).
António Quaresma disse ainda que, durante a primeira fase de implementação do projecto “Água para Todos”, foram criados 160 quilómetros de novas redes de abastecimento para a cidade do Huambo, que vão beneficiar os novos projectos urbanos, no âmbito do programa de Governo de construção de um milhão de casas.
Disse, por outro lado, que o Ministério da Energia e Águas, em pareceria com o Governo da Província do Huambo, está a elaborar novos estudos para o reforço do sistema de abastecimento de água à cidade do Huambo e localidades circundantes, a partir de uma outra fonte, que é o Rio Kunhangâmua.
“Os estudos em causa vão ter como base de sustentação o crescimento populacional que se tem verificado nos últimos anos nesta cidade e também o crescimento industrial, cujo ressurgimento é uma das prioridades do executivo local para 2011”, frisou António Quaresma.
Além da cidade do Huambo, António Quaresma foi peremptório em assegurar que os estudos visam também reforçar o abastecimento de água ao pólo industrial da Caála, à própria vila da Caála e aos bairros adjacentes que vão surgindo.
Os estudos, segundo o responsável do Ministério da Energia e Águas, devem estar concluídos entre os meses de Março e Abril de 2011, ao que se seguirão os concursos públicos para adjudicação das respectivas empreitadas.
A nível de outros centros urbanos importantes do Huambo, nomeadamente as sedes municipais, António Quaresma disse que o governo da província e o Ministério da Energia e Águas têm estado a trabalhar para assegurar o abastecimento às populações que residem nas restantes municipalidades que compõem a circunscrição administrativa da província.
“Excepção feita aos municípios do Catchiungo e da Tchicala-Tcholoanga, onde se verificaram alguns problemas, que vão ser resolvidos a breve trecho, nos demais municípios as populações estão já a ser beneficiadas em termos de abastecimento de água potável”, disse.
Durante a primeira fase, ainda de acordo com António Quaresma, foram construídos na cidade do Huambo sete pequenos sistemas de água, sendo que outros dois estão em fase de conclusão. No mesmo período foram ainda construídos 100 novos pontos ou furos de água com bombas manuais, para além da reabilitação de 150 furos com bombas manuais.

Dez mil grades de gasosa por dia

A nova linha de enchimento da fábrica de refrigerantes Sefa Coca-Cola no Huambo, orçada em mais de 20 milhões de dólares americanos, já começou a ser ensaiada e prevê produzir, até aos finais deste ano, dez mil grades de gasosas por dia, das marcas Coca-Cola, Sprite e Fanta.
A informação foi anunciada segunda-feira, no Huambo, pelo director geral daquela unidade fabril, Neto Rocha. “Os ensaios já começaram e a nossa expectativa é de produzir até dez mil grades por dia. É evidente que a produção vai depender muito de todo o esforço que a área comercial irá desenvolver no futuro”, disse o director geral da Sefa Coca-Cola no Huambo.
Neto Rocha disse que os trabalhos de montagem da nova linha tiveram início em Setembro do ano passado. “Nós contamos produzir refrigerantes já a partir do final deste ano, visto que os trabalhos de montagem já decorrem a 70 por cento”, garantiu.
Disse, por outro lado, que após o término da obra, a fábrica de refrigerante vai contar com uma produção diária de três vezes mais, em relação à produção feita actualmente, que é de três mil grades de gasosa por dia. “Nós podemos chegar à ordem das 10 mil grades de gasosas por dia, a trabalhar num só turno”, concluiu.
Acrescentou, por outro lado, que, com a entrada em funcionamento da nova linha, a produção vai se expandir ainda mais, sobretudo quando o comboio começar a circular e as vias rodoviárias chegarem a outras partes do exterior da província.
O projecto de expansão da comercialização do novo produto da Coca-Cola, Fanta e Sprite abrange as províncias do Huambo, Bié, Moxico e Kuando-Kubango, que são os maiores clientes.

 "Chemonics International" elogia programa do governo

O presidente da “Chemonics International”, uma empresa norte-americana de consultoria, Richard Dreinan, elogiou na sexta-feira, na Caála (Huambo), o programa de vacinação contra a poliomielite em curso no país, enaltecendo os esforço do Governo angolano na luta pela erradicação da paralisia infantil.
O executivo norte-americano manifestou-se assim no final de uma visita ao município da Caála, 23 quilómetros a Oeste da cidade do Huambo, onde contactou vários projectos de saúde pública em curso nessa circunscrição.
Em declarações à Angop, o presidente da “Chemonics International” disse que a visita vai ajudar a identificar novas áreas de intervenção e outras estratégias para melhorar a performance dos projectos já elaborados localmente em prol do bem-estar social da população.
Visivelmente satisfeito com a existência de um comité de saúde no município da Caála, Richard Dreinan pediu o envolvimento de toda sociedade na resolução dos principais problemas sociais que afectam as comunidades da região.
A Chemonics é uma empresa de consultoria para o desenvolvimento internacional que ajuda governos, empresas, grupos da sociedade civil e comunidades a promoverem mudanças significativas para o bem-estar da população e a implementar acções produtivas independentes.

Tempo

Multimédia