Províncias

Promiscuidade preocupa sociedade

Marcelino Dumbo | Huambo

O sociólogo Memória Ekulica manifestou terça-feira grande preocupação pelos níveis elevados de promiscuidade sexual registada, nos últimos tempos, entre jovens e adolescentes na província do Huambo.

Elevados níveis de promiscuidade entre jovens e adolescentes preocupa sociólogo
Fotografia: Francisco Bernardo

Memória Ekulica reconhece que a exiguidade na educação dos jovens e adolescentes sobre o modo de vestir, dançar e outras práticas repudiáveis estão a provocar o aumento do fenómeno promiscuidade nas comunidades.
Uma das grandes preocupações tem a ver com o facto da prática sexual despreocupada constituir uma das principais causas das doenças sexualmente transmissíveis, entre as quais o VIH/Sida, e das gravidezes indesejadas.
O sociólogo responsabilizou os pais e encarregados de educação pelo pouco tempo que dedicam aos filhos para abordar questões sobre a educação sexual e outros assuntos que contribuem para que eles possam ter uma boa conduta social.
Por este facto, chama aos pais e organizações da sociedade civil, principalmente as igrejas, a redobrarem esforços na educação dos adolescentes e dos jovens, para que estes deixem de enveredar por maus caminhos e evitem os vícios. A opinião do sociólogo é igualmente partilhada pelos munícipes Henriqueta Nagombe, Francisco Pandu, Isaac da Silva Camalata e Lídia Gustavo, que destacam o papel dos pais, encarregados de educação, igrejas e escolas e organizações juvenis na educação e moralização da sociedade. Salientaram que o diálogo permanente entre pais e filhos ou com outros membros da família é a melhor forma de evitar todos os riscos no seio dos adolescentes e jovens, assim como propicia uma sociedade sã. O sociólogo Memória Ekulika enaltece o empenho de algumas igrejas pelo papel preponderante na formação do homem novo, ajudando na diminuição de comportamentos negativos entre os jovens.

Tempo

Multimédia