Províncias

Pulverização de moradias no Bailundo

Um total de 6.040 residências, das 20 mil previstas, foram já pulverizadas na vila do Bailundo, 75 quilómetros à norte da cidade do Huambo, desde o início da segunda fase de uma campanha de combate à malária, iniciada há 15 dias, informou a directora geral da organização não-governamental “ABT Associates”.

Lourdes Loch considerou positivo o grau de aderência da população à campanha de pulverização, que prevê proteger um universo de cerca de 60 mil pessoas, referindo que o programa está a ser apenas desenvolvido nos bairros periféricos da vila do Bailundo, com envolvimento de 125 agentes comunitários, que estão a passar porta-à-porta.
Por isso, a responsável disse acreditar que as 20 mil residências sejam atingidas até Novembro próximo. Lourdes Loch assegurou que esta segunda fase do programa de pulverização residual intra-domicialiar está a ser acompanhada de distribuição de redes mosquiteiras tratadas com insecticidas de longa duração.
Durante o primeiro semestre deste ano, no município do Bailundo, foram registados 151.064 casos de malária, sem causar qualquer morte.
O programa de pulverização residual intra-domiciliar prevê proteger da malária 60 mil pessoas no município.
 Na primeira fase da campanha, realizada no primeiro semestre, foram beneficiadas 125 mil pessoas nas comunas do Hengue e Bimbe.

Tempo

Multimédia