Províncias

Rede sanitária em expansão

Marcelino Dumbo | Bailundo

A rede sanitária do município do Bailundo está a crescer, com a construção de mais centros de saúde nas sedes comunais do Luvenva, Lunge e no sector do Monte Belo.

Autoridades locais continuam a criar condições para baixar os índices de mortalidade
Fotografia: Jornal de Angola

A rede sanitária do município do Bailundo está a crescer, com a construção de mais centros de saúde nas sedes comunais do Luvenva, Lunge e no sector do Monte Belo.
O administrador municipal, Ireneu Sacaála, disse que a administração local estabeleceu como principais prioridades a expansão da rede sanitária nas comunidades rurais, para reduzir as doenças que mais assolam a região, como as respiratórias agudas, de transmissão sexual e o paludismo.
No quadro do programa municipal de investimento público, está em curso a reabilitação do hospital municipal do Bailundo, quase concluída e que, dentro de pouco tempo, vai proporcionar outros serviços de saúde aos munícipes e auxiliar os do Chilume, actualmente em funcionamento na Missão Evangélica.
Em breves declarações ao Jornal de Angola, Ireneu Sacaála disse que está ainda em construção uma residência para técnicos da saúde, no sector de Monte Belo, e um posto sanitário, na ombala de Ndjaulo.
Os serviços de saúde no Bailundo funcionam com 22 unidades, sendo dois hospitais, quatro centros médicos e 16 postos de saúde.
 O funcionamento do sector é garantido por 508 funcionários, entre os quais cinco médicos, dois angolanos e três de nacionalidade cubana, um enfermeiro graduado, 132 técnicos médios e 263 básicos, além de 83 trabalhadores de base.
 O administrador Ireneu Sacaála reafirmou que, com a paz, estão relançadas as bases para o bem-estar e o desenvolvimento, fruto do grande esforço que o governo e parceiros têm empreendido para baixar o índice de mortalidade materno infantil.

Tempo

Multimédia