Províncias

Rede viária liga o Huambo às províncias vizinhas

Marcelino Dumbo | Huambo

As estradas secundárias que ligam o Huambo às províncias do Bié e Kwanza-Sul, passando pelas vilas do Bailundo e do Mungo, estão em reabilitação.

No quadro do Programa de Investimentos Públicos estão também em curso na província do Huambo a construção de pontes definitivas
Fotografia: Jornal de Angola

As estradas secundárias que ligam o Huambo às províncias do Bié e Kwanza-Sul, passando pelas vilas do Bailundo e do Mungo, estão em reabilitação.
As vias que ligam a comuna do Luvemba/Kassongue, na província do Kwanza-Sul, num percurso de mais de 80 quilómetros, à vila do Mungo, via Calussinga, na província do Bié, numa extensão de 75 quilómetros, estão a ser reabilitadas, depois de várias décadas de intransitabilidade.
A acentuada degradação, aliada ao perigo de minas, estiveram na base do abandono destas vias pelas populações, que preferiam percorrer longas distâncias, mas em segurança, utilizando as estradas nacionais já reabilitadas.
As províncias do Bié, Huambo, Kwanza-Sul e Benguela sempre estiveram ligadas por uma rede de estradas secundárias. Mas o tempo apagou muitos desses caminhos. Hoje, com a paz, muitas populações regressaram às suas áreas de origem e aumentou a circulação de pessoas e bens.
As autoridades locais estão a criar condições para facilitar o intercâmbio entre o campo e os centros urbanos. A técnica da obra na estrada Bailundo/Luvemba Kassongue, Sara Santos, afirmou aos jornalistas que a empreitada começou em Fevereiro deste ano e está orçada em mais de 100 mil milhões de Kwanzas.
Parte de mão-de-obra que trabalha nestas obras é local. Pelo menos, 35 jovens encontraram aqui o seu primeiro emprego e já conseguem sustentar as suas famílias. Os trabalhos ficam concluídos no primeiro trimestre de 2013. Dos 89 quilómetros do percurso, oito já foram asfaltados. Até Agosto vão ser concluídos 32 quilómetros que estão a ser terraplanados.
 No percurso Mungo/Calussinga já foram reabilitados 40 dos 75 quilómetros previstos e o encarregado das obras naquela zona, Tiago Novo, aponta para o próximo ano a conclusão da empreitada.

Pontes e pontões

No quadro do Programa de Investimentos Públicos estão também em curso, na província do Huambo, a construção de três pontes de carácter definitivo sobre os rios Luvulu e Mutuacuva para ligar o município do Mungo à comuna de Calussinga, na província do Bié, até Agosto próximo.
O administrador municipal do Mungo, António Cotingo, ficou satisfeito com as obras e disse que a ponte vai facilitar e impulsionar as trocas comerciais entre as duas províncias e, ao mesmo tempo, proporcionar progresso e bem-estar das populações. A estrada Mungo/Calussinga deixou de servir as populações há mais de 30 anos, devido à guerra e, de acordo com o administrador, com a paz está a ser possível a sua recuperação para o bem das populações das duas províncias.

Estrada Cuima/Ngove

No troço entre a comuna do Cuima e o sector do Ngove, no município da Caála, as obras estão adiantadas. O governo do Huambo investiu 45 mil milhões de kwanzas para a sua recuperação.
O encarregado da obra, Armindo Fortes, anunciou que estão a decorrer a um bom ritmo e a meta é cumprir os prazos assinados nos contratos com o governo, no sentido de repor a circulação de pessoas e mercadorias.    
O administrador da comuna do Cuima, Faustino Tchinduva, afirmou que as obras de reabilitação em curso na estrada Cuima/Ngove, além de melhorarem a circulação de pessoas e bens vão também proporcionar o desenvolvimento socio-económico das duas localidades.
As obras ecobrem uma extensão de 42 quilómetros, que estavam intransitáveis desde finais da década 1980. O vice-governador do Huambo para a área Técnica e Infra-Estruturas, José Paulo Kai pediu mais celeridade na execução das obras para o cumprimento dos prazos acordados.

Tempo

Multimédia