Províncias

Reitoria incentiva os cursos de agronomia e veterinária

A pouca adesão dos estudantes aos cursos de licenciatura nas especialidades de agronomia e medicina veterinária leccionados na Universidade José Eduardo dos Santos preocupa a Reitoria da instituição, que pretende inverter o quadro, afirmou ontem o reitor da instituição, Cristóvão Simões.

Em declarações à Angop, o reitor da UJES, Cristóvão Simões, referiu que a instituição vai criar programas de incentivo para que os alunos se interessem mais pelos cursos, dada a sua importância no país.
“É uma realidade visível nas unidades orgânicas de agronomia e medicina veterinária, pois muitos estudantes, a pós a conclusão do ensino médio, acabam por escolher os cursos de direito, enfermagem e economia”, apontou.
De acordo com Cristóvão Simões,  a UJES, por se encontrar numa região essencialmente agro-pecuária, onde a agricultura e a produção animal deveriam desempenhar um papel mais marcante na economia local, vai estimular os estudantes a enveredarem por estas áreas.
No quadro do programa do Executivo de diversificação da economia, em função da queda significativa do preço do petróleo bruto, os cursos de agronomia e veterinária formam técnicos indispensáveis  ao crescimento e à estabilidade da economia nacional.
Cristóvão Simões assegurou que são realizadas mais feiras de orientações vocacionais, palestras e campanhas sobre a necessidade de incutir no seio da população estudantil a importância dos cursos de agronomia e veterinária, no sentido de inverter a situação.
A Universidade José Eduardo dos Santos criada em 2009, abrange as províncias do Huambo, Bié e Moxico e tem sete unidades orgânicas: Instituto Superior Politécnico do Huambo, Faculdade de Direito, Faculdade de Economia, de Ciências Agrárias, Medicina Humana, Medicina Veterinária, Escola Superior Politécnica do Bié e do Moxico.
A cidade do Huambo recebeu antes da Independência Nacionalum centro de ensino e investigação nas áreas da Agronomia e da Medicina Veterinária.

Tempo

Multimédia