Províncias

Restituído acervo do Instituto de Veterinária

Estácio Camassete | Huambo

O ministro da Agricultura, Afonso Pedro Canga, defendeu terça-feira, na cidade do Huambo, a restituição de todo o material pertencente ao Instituto de Investigação Veterinária (IIV), desaparecido durante a guerra.

Pedida a contribuição de todos os actores sociais para o relançamento da investigação científica como factor de desenvolvimento
Fotografia: Francisco Bernardo

“Vamos entregar ao Instituto de Investigação Veterinária aquilo que temos em nossa casa e que pertence a este Instituto, já que, durante a guerra, algum material foi daí retirado por indivíduos até aqui desconhecidos e que pode ser útil”, disse Afonso Pedro Canga, durante a reinauguração do  Instituto de Investigação Veterinária do Huambo, localizado no bairro Santo António. 
O IIV continua com enormes desafios desde a restituição do acervo científico, constituído por obras de investigadores nacionais e estrangeiros que, durante anos, trabalharam na recuperação de outros edifícios adjacentes.
O ministro pediu a contribuição de todos os actores sociais para o relançamento da investigação científica, como solução para as questões mais candentes da agricultura e pecuária, “para que o país possa reunir a capacidade de produzir mais alimentos”.
Pedro Canga considerou o Instituto de Investigação Veterinária como uma infra-estrutura com a missão de gerar conhecimentos, por via do investimento moderno, para formar “homens e mulheres capazes do ponto de vista técnico-científico e com sentimento de patriotismo”.Aos investigadores, Pedro Canga deixou a missão de “pagarem com o seu trabalho” ao receberem um edifício com equipamentos modernos, que vai facilitar a sua actividade.
“A ciência não tem fronteiras e nos momentos que correm só se valoriza a excelência. Um bom técnico deve primar para alcançar este grau, abandonando o comodismo”, sublinhou o ministro Pedro Canga. O ministro encorajou os novos investigadores para aproveitarem melhor o novo espaço, para a publicação dos seus trabalhos, destacando que, além dessa infra-estrutura, outras estão a ser reabilitadas nas províncias de Cabinda, Uíge, Huíla, Cuanza Sul, Malanje, Luanda e Benguela e outras vão surgir na região Leste de Angola.
A directora geral do Instituto de Investigação Veterinária, Cleonice de Jesus Costa, admitiu ter muitos desafios, que passam também pela admissão e formação de técnicos, para estar à altura do investimento aplicado. O edifício reinaugurado foi construído em 1925.  O Instituto de Investigação Veterinária de Angola foi criado em 17 de Novembro de 1965. Durante o conflito armado, a estrutura sofreu sabotagem e destruição, passando o IIV a funcionar provisoriamente em Luanda e desde 2011 voltou a funcionar no Huambo.
O edifício principal do IIV comporta os laboratórios de parasitologia, bacteriologia, serologia, tecnologia alimentar e biologia molecular, câmaras frigoríficas para a conservação dos reagentes, biblioteca e salas de reuniões e um complexo residencial de 16 casas, 11 das quais já concluídas.

Tempo

Multimédia