Províncias

Reunião debate situação alimentar

Justino Vitotino | Calenga

As preocupações das populações sobre a situação alimentar, emprego e melhoria da qualidade de vida das comunidades rurais foram os principais temas em debate no Conselho Consultivo do Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e das Pescas (MINADERP), que decorreu desde quinta-feira e  terminou sábado, na comuna da Calenga, município da Caála, província do Huambo.

As preocupações das populações sobre a situação alimentar, emprego e melhoria da qualidade de vida das comunidades rurais foram os principais temas em debate no Conselho Consultivo do Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e das Pescas (MINADERP), que decorreu desde quinta-feira e  terminou sábado, na comuna da Calenga, município da Caála, província do Huambo.
O evento, que contou com a participação dos directores nacionais e chefes de departamento deste ministério,  discutiu e analisou as recomendações dos últimos conselhos consultivos, os resultados da campanha agrícola 2009/2010 e abordou o estado de preparação da próxima época agrícola.
Durante o conselho, os participantes  analisaram a situação dos recursos biológicos e aquáticos, crédito agrícola e o estado actual dos polígonos florestais, entre outros temas.
O ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e das Pescas, Afonso Pedro Canga, assegurou que o sector em Angola é chamado a dar resposta às preocupações das populações, fundamentalmente no que diz respeito à alimentação, ao emprego e à qualidade de vida das populações inseridas nas comunidades rurais.
O governante disse que o Presidente da República, José Eduardo dos Santos, traçou orientações claras e definiu as políticas que deverão ser executadas com rapidez, para que as metas e os objectivos programados para este sector possam ser atingidos até 2012.
Nesse sentido, de acordo com Pedro Canga, foram aprovados programas e projectos cuja execução está em curso, destacando-se, entre eles, a reabilitação de infra-estruturas de apoio à produção agro-pecuária e pesqueira, apoio à agricultura familiar e aos pequenos e médios agricultores e respectivas associações.
O programa de crédito agrícola, apoio à sustentabilidade da exploração dos recursos pesqueiros, melhoria do processamento e comercialização dos produtos de pesca e o do sal iodado, promoção do comércio dos produtores agro-pecuários, investigação científica, combate à desertificação, a investigação científica e a formação de quadros nos domínios agro-pecuários e pesqueiro, também constam dos programas do Executivo para o sector, segundo avançou o responsável.
O vice-governador do Huambo para o sector Económico e Social, Henrique Deolindo Barbosa, disse ser competência do Estado garantir que todos os cidadãos tenham, a todo momento, acesso físico e económico aos alimentos necessários para que consigam uma vida activa e saudável.

Tempo

Multimédia