Províncias

Sanatório reforça luta contra enfermidades

Isidoro Samutula | Dundo e Adolfo Mundombe | Huambo

O Hospital Sanatório de Sacavulo, no Dundo, vai estender o atendimento a todos os casos de doenças infecto-contagiosas, com realce para o vírus da Sida, além do tratamento de pacientes com tuberculose e lepra, anunciou ontem o seu director.

Direcção do Hospital Sanatório de Sacavulo aposta na melhoria do atendimento aos pacientes
Fotografia: Edições Novembro

Wilson Palanca garantiu que, nos próximos tempos, o hospital vai ser uma referência na região quanto ao atendimento de casos de doenças infecto-contagiosa, com grande inclinação para os doentes com HIV e Sida, uma vez que a unidade continua a registar níveis muito elevados destes pacientes.
Ao falar durante a cerimónia da sua apresentação como novo director do hospital, o responsável clínico disse que o sanatório não pode limitar-se a atender doentes de tuberculose e lepra, mas trabalhar no tratamento de outros casos, no sentido de recuperar o seu espaço nestas matérias.
O novo director disse que uma das grandes apostas é converter o hospital num instituto para doenças infecto-contagiosa, transferir o centro de testagem e aconselhamento voluntário para o Sanatório de Sacavula e melhorar a vertente de alimentação dos doentes.
A questão do reforço dos medicamentos de especialidade e a conclusão das obras de ampliação e de requalificação em curso na unidade hospitalar são outras grandes apostas da nova direcção do sanatório.
Quanto aos medicamentos, Wilson Palanca avançou que há necessidade de existir um stock de medicamentos de especialidade, para que os doentes possam ter um tratamento contínuo por um período superior a dois meses.
Outro desafio é potenciar o hospital com as condições necessárias, no sentido de existir suplementos técnicos que incentivem o internamento dos doentes.
Neste sentido, sublinhou que a nova direcção vai trabalhar com todo o grupo disponível para melhorar o atendimento aos pacientes. “Esperamos uma maior colaboração com as autoridades provinciais e todos os quadros do hospital, para melhorar o atendimento e diminuir as dificuldades das pessoas que aqui acorrem.”
Wilson Palanca disse haver necessidade de mais técnicos para o hospital, o que passa pela realização de um concurso público, nos próximos tempos. Por enquanto, disse que vão ser potenciados os actuais quadros com formação e capacitação específica no interior ou no exterior da província.
O director avançou que a província da Lunda-Norte beneficiou de muitas unidades hospitalares, mas o número de técnicos é ainda muito escasso, daí apelar para um melhor aproveitamento dos quadros actuais para garantia de assistência médica e medicamentosa.

Fraco atendimento
O secretário de Estado da Saúde para Área Hospitalar, Altino Matias, manifestou-se ontem, na cidade do Huambo, insatisfeito com a forma como as crianças são atendidas nos serviços de pediatria dos hospitais da província, onde, segundo constatação feita por ele, a assistência médica e medicamentosa é deficitária.
Altino Matias, que fez uma radiografia profunda aos hospitais Geral do Huambo e da Caála e aos centros médicos dos municípios da Chicala Choloanga, Bailundo e Ekunha, ficou totalmente desapontando com a maneira como, principalmente as crianças e alguns adultos, são tratados nas unidades hospitalares visitadas, todas sem fármacos para acudir os doentes em estado grave, que acorrem aos bancos de urgência.
O secretário de Estado afirmou que, nos próximos dias, o quadro nas unidades sanitárias visitadas e noutras que a província possui será, seguramente, diferente, porque, segundo ele, já se trabalha de maneira célere para a reposição do “stock” de medicamentos.
“Não podemos aceitar que pacientes que venham em busca de primeiros socorros tenham que ser obrigados, por via de familiares, a comprarem soros, seringas e demais tipos de reagentes e muitos deles obrigados a realizar análises fora das referidas unidades hospitalares”, disse.
Outro facto que despertou a atenção do secretário de Estado, Altino Matias, durante a sua radiografia ao sector da Saúde no Huambo, reside no aumento dos casos malária em toda a província.

Tempo

Multimédia