Províncias

Sector da Saúde forma especialistas

Pelo menos 20 formadores para área de tratamento da má nutrição aguda concluíram, sexta-feira, na província do Huambo, uma acção formativa sobre os grandes desafios da gestão integrada da má nutrição.

Vista parcial da cidade onde estão a ser traçadas estratégias para melhorar a alimentação
Fotografia: Jornal de Angola

Pelo menos 20 formadores para área de tratamento da má nutrição aguda concluíram, sexta-feira, na província do Huambo, uma acção formativa sobre os grandes desafios da gestão integrada da má nutrição.
Promovida pela Direcção Nacional de Saúde Pública, o evento, que durou cinco dias, teve como objectivo capacitar técnicos e profissionais de saúde que lidam com crianças e que trabalham nas unidades de internamento nutricionais, para que tenham domínio da gestão e manuseamento da má nutrição aguda.
No acto de encerramento, a chefe do departamento de saúde pública na província do Huambo, Georgina Figueiredo, apelou os formandos para, além de aplicar os conhecimentos adquiridos, apoiarem nas acções de prevenção e tratamento da doença nas comunidades, de modo a evitar que um grande número de crianças seja hospitalizado nos centros nutricionais.
“Para um bom resultado nas comunidades, esta será uma tarefa multissectorial que envolverá escolas, igrejas, adolescentes e famílias”, frisou.
No comunicado final distribuído à imprensa, os formandos prometeram tudo fazer para garantirem um melhor atendimento aos doentes com má nutrição e solicitaram à Direcção Nacional de Saúde Pública que realize mais formações.
Os formandos realçaram que a garantia e a sustentabilidade dos produtos terapêuticos nutricionais nos níveis de intervenção, assim como a abertura de unidades específicas são determinantes para o combate à má nutrição.

Saneamento básico


A coordenação do projecto Uhayele realizou sexta-feira, na aldeia Undungulo, sector do Monte Belo, município do Bailundo, a Norte da cidade do Huambo, uma palestra sobre o saneamento básico, tratamento de água potável e importância das latrinas.
A palestra, denominada “juntos pela saúde das nossas comunidades”, enquadra-se nas acções que estão a ser desenvolvidas pelo projecto no âmbito dos cuidados preventivos de saúde. A coordenadora técnica de assistência do Uhayele, Priscila Americana, disse à Angop, no final da palestra, ser objectivo do projecto ensinar as pessoas da região a levarem uma vida saudável nas suas comunidades, prevenindo-se de doenças causadas pelo débil saneamento básico e consumo de água imprópria.
O soba da aldeia, António da Silva, um dos 250 presentes na palestra, louvou a iniciativa do Uhayele, tendo sublinhado que os conhecimentos adquiridos pelos aldeões, uma vez postos em prática, vão contribuir para a redução da mortalidade.
“Consumimos água do rio sem ser tratada, situação que tem originado doenças. O saneamento básico na aldeia é bastante precário, mas admito que doravante a situação será melhor, graças a esta palestra”, aludiu  António da Silva.

Tempo

Multimédia