Províncias

Segurança alimentar debatida em seminário

Justino Vitorino | Huambo

A Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade José Eduardo dos Santos promoveu, na Chianga, Huambo, um seminário sobre a execução da Estratégia Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional em Angola.

Vista parcial da cidade do Huambo onde o governo e universitários traçaram novas estratégias e políticas de combate à fome e pobreza
Fotografia: Jornal de Angola

No seminário, realizado em parceria com a Organização Não-Governamental britânica Food Agriculture And Natural Resources Plicy Analysis Network, também foi analisado o “fortalecimento da agricultura familiar”, a “estratégia e políticas de combate à fome e à pobreza”, “incentivo à agricultura através de programas vocacionados para este efeito”, “desenvolvimento sustentável da agricultura e “recursos naturais”.
O vice-governador provincial re­alçou a importância do impacto do seminário na promoção de políticas adequadas para a redução da pobreza e para o desenvolvimento e aumento dos rendimentos das famílias camponesas.
O combate para a redução da pobreza, referiu o vice-governador, é dos maiores desafios do Executivo para edificação de uma sociedade mais próspera e justa.
Francisco Fato declarou que o país tem dado sinais de reactivação da actividade agro-pecuária e regista alguns progressos na produção de cereais e tubérculos, sobretudo milho e mandioca.
O Governo Provincial, disse, tem desenvolvido programas de extensão e desenvolvimento rural, entre os quais o de apoio aos empresários agrícolas.
Execução de projectos agro-industriais em grande escala, construção de perímetros irrigados e de acções de repovoamento florestal, salientou, são esforços irrisórios face às enormes necessidades da população. A directora da Acção de Desenvolvimento Rural e Ambiente, Maria Lassaste, referiu no seminário a importância dos programas básicos para a disponibilização de alimentos com qualidade e variedade adequada no combate à fome e pobreza.
A responsável do Gabinete Nacional de Segurança Alimentar, Eugénia Silva, afirmou que os programas integrados de combate à fome e à pobreza são um grande desafio para o Executivo.
No seminário participaram especialistas ligados ao ramo agro-alimentar, administradores municipais, organizações da sociedade civil, representantes do sector empresarial privado, académicos e estudantes da Universidade José Eduardo dos Santos.

Tempo

Multimédia