Províncias

Situação da mulher rural é debatida no Huambo

Juliana Domingos | Huambo

Vários encontros de auscultação sobre a situação das mulheres nas comunidades rurais começam a ser realizados ainda este mês no Huambo, pelo Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Promoção da Mulher.

Autoridades locais apostam no aumento da produção
Fotografia: DR

O anúncio foi feito pela directora provincial da instituição, Maria Cawewe, durante uma feira na comuna da Calenga, município da Caála, em saudação à jornada da mulher rural, que decorre sob o lema “Investir na mulher rural é garantir a estabilidade económica das comunidades”.

Os encontros, acrescentou, visam criar mecanismos de fomento ao crédito para o exercício da agricultura e piscicultura e melhoria do rendimento das famílias no meio rural. “A mulher rural é batalhadora e incansável, além do campo dedica-se também à maternidade, educação dos filhos, preparação dos alimentos, cuidados primários de saúde e outras actividades, pelo que é necessário trabalhar-se com os bancos para financiarem os seus projectos, para que tenham uma vida condigna”, sublinhou Maria Cawewe.
A melhoria das condições de vida da população, ressaltou Maria Cawewe, está na linha de prioridades e preocupações do Governo da província, que envida esforços para garantir que os produtos do campo cheguem aos grandes centros de consumo, evitando assim a sua degradação nas áreas de cultivo.
Segundo Maria Cawewe, as mulheres rurais são responsáveis por mais de 70 por cento da produção agrícola e por quase 90 da sua comercialização, apesar de os indicadores revelarem um quadro ainda caracterizado por muitas dificuldades.
Felismina Marcolino, administradora adjunta da Calenga, disse que a comuna conta com 53 cooperativas agrícolas, muitas delas com várias dificuldades. A comuna da Calenga tem 52.118 habitantes, dos quais 28.791 mulheres.

Tempo

Multimédia