Províncias

Taxistas aderem em massa ao registo das motorizadas

Mário Clemente | Huambo

Mais de três mil moto-taxistas procederam ao registo das suas motorizadas, no quadro do processo de licenciamento de motociclos, na cidade do Huambo, levado a cabo pela Associação de Motoqueiros e Transportadores de Angola (Amotrang).

Processo de registo dos moto-táxis decorre sem sobressaltos no Planalto Central
Fotografia: Amândio Clemente

O delegado provincial da associação no Huambo, Frederico Fernando, disse que o registo de motorizadas de 100 centímetros cúbicos na província está a atingir números satisfatórios.
O objectivo da associação é habilitar os associados com carta de condução, depois de passarem por uma escola de condução, serviço patrocinada pela associação.
Quanto ao arranque das aulas de condução, Frederico Fernando disse que estão previstas para breve, ainda que seja debaixo das árvores, sobretudo nas aldeias, comunas e municípios. No município sede do Huambo decorrem negociações com o Governo, para garantir todo o a­poio necessário no sentido de as aulas passarem a ser ministradas nos pavilhões multiusos.
O processo de registo e a formação de moto-taxistas faz parte das estratégias traçadas pelo Executivo de combate à sinistralidade rodoviária. Neste momento, disse o responsável da associação, existe luz verde por parte da delegação provincial da Justiça e Direitos Humanos, no sentido de prestar apoios, com uma viatura, para tratar dos bilhetes de identidade daqueles que não possuem documentação.
A província do Huambo tem 25 mil motoqueiros, dos quais 23 mil exercem a actividade de moto-táxi.

Tempo

Multimédia