Províncias

Técnicos de saúde reduzem contágios

Estanislau Costa| Lubango

O técnico de Saúde Nelo Cambolo disse que os casos de contágio de várias doenças no seio da população residente nas zonas suburbanas e rurais da província da Huíla reduziram consideravelmente nos últimos quatro anos, com a materialização de diversos programas de impacto socioeconómico gizados pelo Executivo.

O surgimento de vários postos de saúde descongestionou o número de pacientes e familiares no hospital central do Lubango
Fotografia: Estanislau Costa| Lubango

O técnico de Saúde Nelo Cambolo disse que os casos de contágio de várias doenças no seio da população residente nas zonas suburbanas e rurais da província da Huíla reduziram consideravelmente nos últimos quatro anos, com a materialização de diversos programas de impacto socioeconómico gizados pelo Executivo.
Os adultos, jovens e crianças das 32 comunas da província, assim como de aldeias e povoações, têm agora mais próximo os principais serviços básicos, facto que está a contribuir para a eficiência e melhoria da assistência sanitária, assim como a existência de condições favoráveis para a sustentabilidade das comunidades.
Estas performances foram alcançadas com a construção, reabilitação e apetrechamento de cinco hospitais, oito centros de saúde e 86 postos de saúde, incluindo a materialização do programa de municipalização dos serviços de saúde, que dotou as unidades sanitárias com fármacos diversos.
O surgimento de novas unidades hospitalares, afirma o técnico de Saúde Nelo Cambolo, descongestionou a demanda de pacientes e familiares acompanhantes no hospital central do Lubango Dr. António Agostinho Neto, tido como o maior da região sul, remodelado e enriquecido com várias especialidades de atendimento.
De realçar que as obras de reabilitação do edifício, com cinco andares, construção de novas estruturas adjacentes, aquisição de mobiliário e equipamento moderno, custaram ao Executivo mais de quatro mil milhões de kwanzas, financiados pela China, no quadro da cooperação com o Executivo.
A instalação de equipamento sofisticado continua a merecer a especial atenção do Executivo, estando neste momento a concluir os trabalhos de montagem dos meios técnicos capazes de assegurar serviços de hemodiálise. A modernização da unidade visa transformá-la num centro de investigação.
O relatório de balanço das acções do governo provincial de 2008/2012 atesta que foram executados 101 projectos do sector da Saúde com fundos do Programa de Investimentos Públicos (PIP) e Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza. Para o efeito, foram empregues mais de dez mil milhões de kwanzas em projectos que visaram a melhor cobertura sanitária nos 14 municípios, aumentando o número de camas de 1.338 para 1.564. Actualmente, funcionam na província 12 hospitais, 39 centros de saúde e 242 postos de saúde.
Quilengues, Caconda, Cuvango, Chipindo estão servidos com hospitais que atendem também pacientes de outros municípios e províncias vizinhas da Huíla.
Os antigos e novos técnicos de saúde realizam campanhas de sensibilização e mobilização para educar a população das zonas rurais a acorrerem aos hospitais quando notarem anomalias numa criança ou adulto.

Indicadores positivos


O relatório de balanço do Governo da Província indica que a extensão de grandes e pequenos hospitais em vários pontos da província está a salvar vidas humanas e a criar sossego no seio da população que percorria longas distâncias em busca da cura.
Os casos de contágio da malária e suas complicações severas caíram de 435. 410, em 2008, para 260.644, no corrente ano. Igualmente se lê no relatório que o número de óbitos pela mesma doença reduziu de 928 para 589, cifra referente a 2011.
As crianças dos zero aos dez anos têm sido as mais afectadas pela malária e outras doenças com casos de morte acentuados. Fruto dos investimentos em imóveis sanitários, pessoal qualificado de saúde com médicos espalhados nos municípios e reforço de medicamentos, as mortes reduziram, e o número de mortalidade infantil baixou de 701 em 2008 para 600. O número de nados mortos baixou de 956, em 2011, para 142. A cifra foi alcançada com a melhoria do atendimento e assistência dos hospitais e também com o aumento da frequência nos programas de aconselhamento, consultas pré-natais, cuidados pré-partos e pós-partos.

Aproximar os serviços


O governador provincial Isaac dos Anjos considerou, no Conselho Consultivo da Saúde da Huíla, realizado recentemente, ser necessário levar os serviços mais próximo dos cidadãos, para reduzir cada vez mais os índices elevados de mortalidade e melhorar o serviço nos municípios e comunas.
Isaac dos Anjos disse que o governo vai continuar a investir em meios e equipamentos de diagnósticos modernos, para munir as unidades de ferramentas que permitam um atendimento eficiente, optimizar os resultados e introduzir o princípio do cálculo económico para conhecer quanto custa o tratamento completo do doente.
O governador enalteceu a participação do sector privado da província na tarefa de prestação de serviços à população. “Os serviços médicos por especialidade, como cardiologia, radiologia, oncologia e fisioterapia podem motivar a parceria pública e privada com mútuas reciprocidades.”

Tempo

Multimédia