Províncias

Terapeutas e parteiras são registados

Tatiana Marta | Huambo

Terapeutas e parteiras tradicionais da província do Huambo são registados para facilitar a sua actividade e evitar o exercício por indivíduos não habilitados. O registo visa essencialmente identificar as actividades reais de cada terapeuta e parteira tradicional e o tipo de plantas utilizadas na cura de enfermidades.

O presidente do Fórum de Medicina Natural e Tradicional, Kitoko Mayavangua, também conhecido por Avô Kitoko, que realizou uma visita de trabalho a cidade do Huambo, apelou às autoridades tradicionais no sentido de denunciarem os falsos terapeutas tradicionais nas comunidades, para evitar prejuízos materiais e morais das populações.  “As organizações dos terapeutas tradicionais, em parceria com as autoridades sanitárias, jogam um papel importante na salvação de vidas humanas, sobretudo nas comunidades rurais”, disse Avô Kitoko.
Kitoko Mayavangua referiu que a medicina tradicional é parte importante do Plano de Desenvolvimento Sanitário Nacional, porque 72 por cento da população angolana utiliza plantas medicinais para a cura de várias doenças.
Avô Kitoko aconselhou os terapeutas tradicionais a frequentarem as aulas de alfabetização, para aprenderem a ler e escrever, salientando que tal acção permite um atendimento mais humanizado aos pacientes.
A província do Huambo dispõe de grandes potencialidades medicinais tradicionais e sempre desempenhou um papel de capital importância na prestação de um serviço de qualidade às populações. “O Executivo reconheceu este esforço e agora os terapeutas estão a ser registados na província para que sejam reconhecidos e continuem a prestar condignamente os seus serviços à sociedade”, disse.
A visita de Avô Kitoko enquadra-se no programa de ajuda e controlo, para incentivar as parteiras e os terapeutas tradicionais a inscreverem-se no fórum, para estarem habilitados legalmente ao exercício das suas actividades.
“As plantas curativas auxiliam a medicina alternativa e por este motivo os terapeutas tradicionais tiveram sempre uma palavra a dizer quando o assunto é a saúde humana.” A província do Huambo controla 25 ervanárias, 1.500 terapeutas e 3.000 parteiras tradicionais.

Tempo

Multimédia