Províncias

Três em cada 100 pessoas afectadas com VIH/sida

Justino Vitorino | Huambo

Três em cada 100 habitantes da província do Huambo, entre crianças, jovens e adultos, vivem com sida, sendo os municípios do Huambo, Caála e Bailundo os mais afectados, disse ontem o supervisor do Programa de Luta Contra a Sida.

Vista parcial do Huambo onde são realizadas várias acções para se evitar a propagação da sida
Fotografia: Francisco Bernardo |Edições Novembro


Euclides Chipalavela explicou que esta situação obriga as autoridades sanitárias da província do Huambo a redobrarem esforços, no sentido de se aumentarem as acções preventivas, principalmente no seio das mulheres grávidas, pois muitas delas furtam-se ainda em realizar testes de sida durante a gestação, optando por realizar partos em suas residências.
“Muitas mulheres em estado de gestação furtam-se em realizar testes voluntários de Sida e, como consequência, acabam por contaminar os seus bebés, facto que facilmente podia ser evitado”, sublinhou o supervisor do Programa de Luta contra a Sida.
Euclides Chipalavela disse que este ano o Programa de Luta contra Sida na província do Huambo prevê reforçar os serviços de testagem voluntária, em todas as unidades sanitárias, bem como a criação de brigadas móveis, além de campanhas de sensibilização, com palestras nas comunidades, demonstrações e distribuição de panfletos e outros materiais informativos.
“Gostava de aconselhar, sobretudo a juventude, que do ponto de vista estatístico é a camada mais afectada, que tivesse em conta a existência do HIV/Sida como algo factual e dotar-se de todas as medidas preventivas e necessárias para evitar a contaminação”, pediu o supervisor do Programa de Luta contra a Sida na província do Huambo, Euclides Chipalavela.
O activista social António Cardoso Dinis, um dos participantes no encontro com os gestores e parceiros ligados ao sector, apelou aos jovens da região a observarem as medidas de prevenção da doença e apontou a necessidade das famílias dialogarem mais sobre o assunto e a participarem em sessões de sensibilização levadas a cabo pelas instituições de luta contra a doença.
O responsável da Associação dos Jovens Unidos pela Vida, Renato Nassoma, afirmou que muitas pessoas seropositivas estão a infectar outras propositadamente e lamentou este tipo de conduta, considerando os elementos que assim se portam de anti-sociais, que merecem repúdio massivo: “Os números de casos diagnosticados podem subir nos próximos tempos, tudo porque muitos doentes abandonam o tratamento ainda na fase inicial e outros são incitados pelos próprios familiares a não se deslocarem às unidades sanitárias.                                    

Anti-retrovirais

                                           
No primeiro trimestre deste ano as autoridades sanitárias registaram mais de mil casos, dos quais 39 resultaram em óbitos. No mesmo período realizaram-se 4.025 testes voluntários, dos quais 1.046 com resultados positivos.
O supervisor provincial do Programa de Luta contra Sida garantiu que existem anti-retrovirais em todas as unidades sanitárias.
Euclides Chipalavela acrescentou que a situação está a preocupar as autoridades e toda a sociedade da província, por afectar maioritariamente jovens, que constituem a maior força de trabalho e impulsionadora do desenvolvimento económico da província, em particular, e do país em geral.
A Associação dos Amigos Seropositivos distribuiu em Maio 1.700 preservativos, no âmbito do programa do Executivo de luta contra a doença e centenas de técnicos de saúde pública foram capacitados para garantir o êxito desta luta.
A formadora Eunice Chicosse garantiu que o sector da saúde a nível da província vai continuar a desenvolver esforços no sentido de expandir os métodos de diagnóstico e prevenção da doença em todas as unidades sanitárias da região.
O primeiro caso de VIH/Sida foi registado em 1990 no Hospital Central do Huambo.

Tempo

Multimédia