Províncias

Turbinas na subestação de Belém garantem mais energia eléctrica

Mário Clemente | Huambo

As cidades do Huambo e da Caála beneficiam, nos próximos meses, de mais energia eléctrica, com a conclusão da montagem, dentro de dois meses, de uma nova central térmica, com capacidade de 50 megawatts, na subestação de Belém, sector do Dango, informou ontem o governador provincial do Huambo.

Governador provincial do Huambo foi ver de perto o andamento do projecto que consiste na montagem de duas turbinas de produção de energia
Fotografia: Francisco Lopes | Edições Novembro-Huambo

João Baptista Kussumua disse que  projecto consiste na montagem de duas turbinas de produção de energia eléctrica, para beneficiar mais de 100.000 moradores das duas cidades e reforçar a rede pública nas ruas e bairros adjacentes.
“Com este projecto, o Governo local pretende beneficiar também as populações e locais que nunca tiveram este serviço e melhorar o fornecimento de energia eléctrica nas duas cidades e bairros suburbanos”.
Durante a visita de trabalho efectuada à subestação de produção de energia eléctrica de Belém, para constatar o andamento das obras de implantação das duas turbinas, o governador da província, João Baptista Kussumua, referiu que o Executivo tem feito algum esforço no sector eléctrico e tem recebido respostas positivas para que a situação possa ser resolvida com maior brevidade.
O governador provincial disse que tudo quanto é feito visa ter os bairros com iluminação, para que as populações tenham mais conforto nos seus lares, mais segurança e permitir também a expansão dos serviços do Estado onde nunca existiram e facilitar a livre circulação nos períodos nocturnos.
“Queremos que este processo decorra o mais breve possível, por isso entrei em contacto com o ministro da Energia para termos esse bem, que vai beneficiar todos, principalmente nas instituições escolares, famílias, empresas, indústrias e hospitais.”
João Baptista Kussumua disse que a província regista algum défice no abastecimento de electricidade, mas, com a montagem das duas turbinas, será reforçada a capacidade de produção e distribuição deste bem aos moradores das cidades do Huambo e Caála. “Estamos a fazer os possíveis para que as duas turbinas cheguem o quanto antes e penso que estamos a ser ouvidos pelos ministros da Energia e da Construção, envolvidos neste projecto. Quando concluírem as obras, teremos uma capacidade de energia na ordem dos 70 megawatts a nível da província”. João Baptista Kussumua pediu maior colaboração aos órgãos de comunicação social no sentido de desencorajarem atitudes negativas de alguns cidadãos, que, à procura de lucros fáceis, danificam os equipamentos que estão a ser utilizados para garantir a produção e distribuição de energia eléctrica nas ruas das cidades. “Em Dezembro fez-se um trabalho de profundidade em alguns bairros, porque os cabos foram completamente danificados e a população ficou por muito tempo sem energia”.
João Baptista Kussumua destacou que, com a implementação das turbinas, os bairros periféricos da cidade que nunca tiveram energia vão beneficiar de energia eléctrica domiciliar e de iluminação pública.
O engenheiro da  estação de Belém, Pires Ferreira, garantiu que a nova central é constituída por duas turbinas, com 25 megawatts cada e podem ser instaladas rapidamente.
Pires Ferreira explicou que cerca de 70 por cento das fundações estão prontas para receber as turbinas e equipamento pesado que está a caminho do Huambo. Todo o sistema de filtração e de tratamento de água para a turbina também já está encomendado. “Dentro de onze semanas entram em funcionamento as turbinas, se tudo correr bem”, garantiu o técnico principal das obras.

Tempo

Multimédia