Províncias

Unidade sanitária em obras

Estácio Camassete | Caála

O hospital municipal da Caála vai ser totalmente reabilitado e ampliado num prazo de 60 dias, passando a ter 175 em vez de 120 camas, disse, na terça-feira, ao Jornal de Angola, o director do estabelecimento.

O hospital municipal da Caála vai ser totalmente reabilitado e ampliado num prazo de 60 dias, passando a ter 175 em vez de 120 camas, disse, na terça-feira, ao Jornal de Angola, o director do estabelecimento.
O hospital presta assistência às populações da Caála, Lépi, Langonjo e Ekunha.
Fernando Vicente afirmou que o estabelecimento, após a remodelação, passa a dispor de serviços nas áreas de saúde mental, urgência, cirúrgica, bloco operatório, serviço de magiologia, oftalmologia e um gabinete de utente.
Além disso, frisou, o hospital vai ter melhores condições de instalação e, sobretudo, de prestação de serviços.
“O objectivo do governo é reforçar o estatuto da unidade da Caála, como segunda maior da província, depois do hospital regional do Huambo”, referiu.
Os pacientes passam a ser atendidos no Centro de Formação Genética e Exposição (CEFOGEXPO), na comuna da Calenga, a sete quilómetros da Caála.
“Nas instalações provisórias, vamos ter banco de urgência, medicina geral e pediatria”, declarou Fernando Vicente.
Em caso de necessidade de internamento, os doentes são transferidos para o hospital regional do Huambo.
Nas instalações da CEFOGEXPO apenas são realizados exames de laboratório com um número não superior a 15 pacientes, segundo Fernando Vicente.

Tempo

Multimédia