Províncias

Universidade Lusíada chega ao Huambo

Filipe da Silva | Huambo

Mais de 200 jovens universitários frequentam, pela primeira vez, no presente ano lectivo, diferentes cursos ministrados no Instituto Superior Politécnico Lusíadas do Huambo.

Vista parcial da cidade do Huambo onde a população estudantil tem mais opções na altura de escolher os cursos de nível superior
Fotografia: Jornal de Angola |

O director-geral da Universidade Lusíada de Angola, Albertino Sebastião, em discurso de apresentação do programa do ano académico 2013, disse que, numa primeira fase, a instituição vai funcionar nas instalações da Faculdade Adventista de Teologia e ministrar cursos de Gestão de Recursos Humanos, Psicologia Clínica e Organizacional, Direito, Gestão de Empresas e Informática.
Apesar de a instituição provir da Universidade do Lobito, na província de Benguela, a região académica número dois, no Huambo, vai ser autónoma, em obediência ao decreto do Ministério do Ensino Superior que estabelece a autonomia das instituições universitárias em cada uma das regiões.
O Reitor da Universidade Lusíada de Angola, Mário Pinto de Andrade, referiu que o grupo Lusíada é uma família de grande referência e humildade, e pediu aos universitários para se pautarem pelo compromisso do rigor, empenho e disciplina, durante a sua formação académica.
“A província do Huambo está a crescer a todos os níveis e o Grupo Saber Angola quer incluir no seu programa homens que possam dar uma outra dinâmica em termos de conhecimentos, com vista a contribuir para a reconstrução nacional em cursos no país, ” alertou.Mário Pinto de Andrade acrescentou que a Universidade Lusíada em Angola formou sempre bons estudantes nos vários ramos do saber. “No Huambo, as aulas já tiveram início, depois de reunidas as condições para o arranque do ano académico. A instituição vai ter autonomia própria e, a partir do próximo ano académico, desenvolver as actividades em instalações próprias”, garantiu.
O Instituto Superior Politécnico Lusíada do Huambo foi aprovado pelo Conselho de Ministros através de Decreto Presidencial 168/12 publicado em “Diário da República”, no dia 24 de Julho, e além do Huambo está em Benguela, Cabinda, Luanda e Lunda-Sul. A nível nacional matriculou mais de 12 mil estudantes.

Tempo

Multimédia