Províncias

Vilas ganham nova imagem

António Canepa | Huambo

Ruas e vilas da cidade do Huambo apresentam agora uma imagem mais agradável e saudável, com a implementação, pelo governo provincial, de um novo modelo de recolha e tratamento dos resíduos sólidos, o que deixa a população local satisfeita. 

Na cidade do Huambo, desde o início da campanha de recolha dos resíduos sólidos, a reportagem do Jornal de Angola constatou que, diariamente, se observa homens e máquinas a cuidarem da imagem da urbe.
A ideia é, segundo o governador provincial, João Baptista Kussumua, recuperar a imagem da cidade e torná-la mais bonita e acolhedora, além de se criar um ambiente salutar para os moradores e visitantes.
A limpeza e o embelezamento da cidade tornaram-se tema de conversa nas ruas, locais de trabalho, escolas e até mesmo em hospitais e quartéis. Para esta empreitada, o governador provincial lançou um repto à sociedade no sentido de aplicarem-se, para se poder combater o lixo e haver saúde para todos.
Na terça-feira, 25, foi apresentado, na cidade do Huambo, um Plano de Acção de Gestão de Resíduos Urbanos (Papgru) para a província. O objectivo é mudar o comportamento dos moradores em relação ao lixo, erradicar os modelos antigos de recolha e abrir campanhas de educação e sensibilização ambiental, acções que vão vigorar com o slogan “Cidadão Educado, Huambo Limpo”.
As acções têm por finalidade melhorar a vida nas comunidades, proteger a saúde dos cidadãos e propiciar um ambiente são para todos. A educação sobre o lixo vai basear-se na metodologia de abordagem directa ao cidadão, em campanhas de sensibilização massiva sobre gestão correcta dos resíduos, encontros de concertação com autoridades tradicionais e líderes religiosos e na formação de activistas ambientais. O governador da província, João Baptista Kussumua, que procedeu à apresentação do plano, mostrou-se satisfeito com o andamento do processo, informando que, em menos de um mês, foram recolhidos mais de sete mil metros cúbicos de lixo no casco urbano e na periferia, o que permitiu a redução significativa dos resíduos sólidos na cidade.
No município sede, os focos de maior concentração de lixo eram localizados nas cidades Baixa e Alta e nos bairros das Cacilhas, São Luís, Kapango, Santo António, Aviação, São Pedro, Calomanda, Calilongue e na rua do Comércio. Fazem ainda parte os bairros São João, São José, Bomba-Alta e Baixa, Cambiote, Santa Iria, Aeroporto, Sassonde e Académico.
Para a operação de recolha de lixo, foram precisos 12 camiões basculantes e vários outros meios, como pás carregadoras e retroescavadoras. É de destacar a envolvência e a contribuição dos munícipes.
O novo modelo obriga que os cidadãos depositem os resíduos sólidos em locais identificados pela administração em horários definidos (17h00 às 22h00 na zona urbana e das 15h00 às 18h00 nos arredores da cidade).
Estima-se que, mensalmente, sejam recolhidas na cidade do Huambo e bairros periféricos 490 toneladas de lixo. Consta também do novo modelo, a restituição de contentores nas ruas e em áreas indicadas pela administração municipal.

Tempo

Multimédia