Províncias

Violência contra homens com tendência a aumentar

Tatiana Marta | Huambo

Pelo menos 39 casos de violência doméstica contra homens foram registados, desde Janeiro do ano em curso, na província do Huambo, revelou ontem, ao Jornal de Angola, a chefe de Departamento Provincial para Política Familiar do Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher.

Ângulo da cidade do Huambo onde homens ultrapassam tabus
Fotografia: Francisco Lopes | Edições Novembro | Moxico

Aldina Chiteculo Sicato acrescentou que o número de queixas de violência do-méstica contra homens tende a aumentar, por motivos de ciúmes, falta de confiança e desentendimento no lar, considerando que muitas mu-lheres procedem desta maneira como meio de controlo e demarcação de limites na relação.
Os homens que denunciam os casos, disse, já estão fartos da convivência no lar.
“A divulgação da Lei Contra Violência Doméstica tem permitido despertar a consciência da sociedade, contribuindo para a mudança de atitude por parte de muitas famílias,” afirmou.
A denúncia de casos de violência, de que são vítimas os homens, recai também numa expressiva mudança de atitude, pois existem muitos casos de violência que estão registados no departamento, mas na condição de anonimato.
As mulheres, apontou, têm pouca tendência para expressar os sentimentos em resposta à violência dos ho-mens e, algumas vezes, quan-do reagem, em retaliação, acabam sendo mais agressivas. No ano passado, o Departamento para Política Familiar registou, durante o primeiro semestre, 238 casos de violência doméstica.

Tempo

Multimédia