Províncias

Zonas periféricas têm mais água potável

Justino Vitorino| Huambo

O director provincial de Energia e Águas, Jorge Andrade, revelou ao Jornal de Angola que mais de 900 mil famílias que vivem em zonas periféricas da cidade do Huambo e sedes dos municípios e comunas beneficiam, desde 2007, de água potável, no âmbito do programa “Água para Todos”.

A população da região deixa de percorrer longas distâncias e de recorrer aos rios e cacimbas em busca de água para para o consumo
Fotografia: Jornal de Angola

Jorge Andrade garantiu que o projecto, integrado no programa de combate à pobreza, prevê o fornecimento de água a mais famílias do Huambo, com a abertura de novos furos e construção de sistemas de captação e distribuição.
“O programa não pode ser visto apenas numa perspectiva de fornecimento de água, mas também na melhoria da saúde e qualidade de vida das populações”, sublinhou, notando que a aposta é a sua extensão, a médio e longo prazo, às aldeias e ombalas.
O responsável da Energia e Águas referiu que o Governo Provincial do Huambo apostou este ano na construção de mais de 60 pequenos sistemas de abastecimento de água, para reforçar os já existentes nas zonas periféricas dos principais centros urbanos da província.
Na cidade do Huambo estão em construção 14 pequenos sistemas de abastecimento de água, nos novos bairros que surgem na periferia.
Jorge Andrade recordou que a cidade do Huambo concentra 60 por cento da população da província, que ainda enfrenta alguns problemas de abastecimento de água. “Pretendemos acompanhar o crescimento da cidade com a melhoria do abastecimento de água potável”, sublinhou, acrescentando que já foi definido um projecto para a construção de uma nova central de captação e distribuição, a partir do rio Cunhongâmwa, para abastecer a zona industrial da Caála e a nova centralidade do Kora Angola, a oeste da cidade.
Apesar de alguns constrangimentos, a rede de distribuição de água é alargada a mais localidades, levando as populações a encurtarem as distâncias para as fontes de abastecimento, reconheceu.

Contadores pré-pagos

Jorge Andrade disse que até finais do próximo ano são instalados 250 pára-raios em todos os sistemas de abastecimento de água nas sedes municipais, para prevenir descargas eléctricas que têm causado muitas mortes, assim como contadores pré-pagos.
O director de Energia e Águas adiantou que mais de 19 mil ligações domiciliares são concluídas nos próximos três anos nos bairros São João, Calomanda e São Pedro, na cidade do Huambo, uma empreitada a cargo da empresa chinesa CEIEC. A expansão da rede de distribuição de água à cidade é um “trabalho de grande envergadura”, por cobrir cerca de 45 quilómetros de rede.
Depois da conclusão das 19 mil ligações são definidas as tarifas de cobranças e a montagem de contadores de sistemas pré-pagos, que já existem na cidade do Huambo, referiu. O Governo Provincial está a estudar a viabilidade do abastecimento de água potável à cidade do Huambo e às vilas da Caála e Tchicala Tcholohanga através de um sistema de captação e bombagem a partir da barragem hidroeléctrica do Ngove, no município do Cuima. Actualmente, a cidade do Huambo é abastecida através da estação de tratamento de água do rio Culimahâla, que tem capacidade para 1.360 metros cúbicos por hora.

Tempo

Multimédia