Províncias

Huambo e Moxico reforçam acções de prevenção

Tatiana Marta | Huambo e Kapalo Manuel | Luena

Mais de 600 mil cidadãos dos municípios do Mungo, Cachiungo e de Chicala Cholohanga, no Huambo, vão ser vacinados contra a febre-amarela, durante a sétima campanha de imunização aberta sexta-feira, anunciou a Direcção Provincial da Saúde.

Estão criadas as condições para que milhares de pessoas sejam vacinadas contra a febre-amarela em várias localidades
Fotografia: Daniel Benjamim | Edições Novembro | Luena

A campanha de vacinação, com a duração de dez dias úteis, vai abranger apenas os três municípios, por estes não terem beneficiado desta acção nos processos anteriores.
O comunicado da Direcção provincial da Saúde salienta que estão criadas todas as condições para que as equipas técnicas, constituídas por vacinadores, registadores, mobilizadores e supervisores, atinjam todas as comunas e aldeias distantes das sedes municipais e comunais.
A Direcção Provincial da Saúde apela às autoridades tradicionais, entidades religiosas e a sociedade civil para mobilizarem a população, para que acorra em massa aos postos de vacinação montados para o efeito.
A campanha de vacinação surge da necessidade de evitar-se mais vítimas da doença, que provocou 96 mortes, entre 2015 e 2017, na província do Huambo.
No período em referência, segundo o documento, foi diagnosticado um total de 128 doentes positivos de febre-amarela nos municípios do Huambo, Bailundo, Caála, Ecunha e Longonjo.

Vacinação porta-a-porta

A segunda fase da campanha de vacinação contra a febre-amarela, que se realiza desde sexta-feira até ao dia 18 deste mês, vai abranger um total de 427.330 habitantes dos municípios do Moxico e dos Bundas, disse o responsável local da saúde pública.
Domingos Luís Mufenji garantiu que, para o êxito do trabalho, foram mobilizadas 72 equipas, sendo 61 para o município do Moxico e 11 para os Bundas.
Disse que as brigadas de vacinação fixas vão trabalhar nos postos, centros de saúde e em escolas, além de brigadas móveis que devem fazer trabalhos de rotina e garantir maior atendimento a todos os habitantes.
A vacinação já foi realizada no município fronteiriço do Luau, devendo seguir-se para os restantes municípios, em datas a anunciar, disse Domingos Luís Mufenji.
O responsável provincial da saúde pública garantiu que as condições estão criadas para suportar as necessidades das 1.322 pessoas que vão trabalhar nesta segunda fase da campanha contra a febre-amarela nos dois municípios. A vice-governadora para sector político, Adriana Cacuassa Bento, salientou que a Constituição da República de Angola garante a promoção de medidas para assegurar o direito à assistência médica e medicamentosa.
Neste sentido, Adriana Cacuassa Bento disse que o Executivo tem ensaiado várias medidas e acções tendentes a impedir a prevalência de certas patologias no seio da população, para que os objectivos definidos pelo Ministério da Saúde sejam alcançados.
A vice-governadora do Moxico referiu que o sucesso do trabalho deve envolver o empenho e entrega total dos técnicos de vacinação, que têm a missão de passar de porta em porta, no sentido de administrar a vacina a população.
Adriana Cacuassa Bento apelou os chefes de famílias e de comunidades, professores, encarregados de educação e todas as forças vivas da província do Moxico no sentido de mobilizarem, sensibilizarem e colaborarem com os vacinadores durante o processo, de modo que haja uma adesão massiva à campanha.

Tempo

Multimédia