Províncias

Huíla carece de salas para novos estudantes

Arão Martins | Lubango

A Universidade Mandume Ya Ndemufayo (UMN), afecta à 6ª Região Académica, integrada pelas províncias da Huíla e Namibe, tem disponíveis, para o próximo ano académico, 2.555 vagas, num universo de 8.574 candidatos que realizam os exames de admissão.

O vice-reitor para a área académica e vida estudantil da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, José Pedro, disse que a Faculdade de Medicina é a unidade orgânica com menos vagas (80), por causa da insuficiência de infra-estruturas.
A Faculdade de Economia tem disponíveis 200 vagas, Direito 210, Medicina 80 e o Instituto Superior Politécnico da Huíla, situado na comuna da Arimba, tem disponíveis 765 vagas.
José Pedro informou que a Escola Superior Politécnica do Namibe conta com mais de 700 vagas, enquanto a Escola Superior Pedagógica, da mesma província, controlada pela Universidade Mandume Ya Ndemufayo, reserva mais de 600 lugares.
Em função da procura que se regista anualmente, o académico defende a criação de mais infra-estruturais. Acrescentou que, para a província da Huíla, brevemente vai ser entregue à universidade uma nova infra-estrutura escolar, situada na cen-
tralidade da Quilemba, o que vai permitir o ingresso de mais estudantes.
Na província do Namibe, disse, para o novo ano académico aumentou-se o número de estudantes, com a entrega de duas novas instalações, que estão a atender as escolas superiores politécnica e pedagógica.

Novos docentes
Pelo menos 64 novos docentes vão ser admitidos pela UMN, nos próximos tempos, no quadro de um concurso público, segundo o vice-reitor, que informou que a Faculdade de Economia e a de Direito são unidades orgânicas com corpo docente já consolidado, diferente da Faculdade de Medicina e do Instituto Superior Politécnico da Huíla, criadas no quadro do processo da extensão do ensino superior, que ainda dependem essencialmente do corpo docente expatriado.
“Agora que haverá concurso público para o ensino superior, já publicado no Diário da República, onde a UMN está contemplada com 64 docentes, nas várias categorias, com professores auxiliares, assistentes e assistentes auxiliares, as unidades orgânicas que dependem essencialmente do corpo docente expatriado poderão ser contempladas”, disse.

Tempo

Multimédia