Províncias

Abastecimento de água abrange mais famílias

Arão Martins | Lubango

O abastecimento de água potável aos habitantes da comuna da Huíla, município do Lubango, atinge a partir de Dezembro uma parte maior da população, em função dos trabalhos de reabilitação e ampliação da rede em curso naquela parcela do país.

Até terça-feira a empresa encarregada da execução dos trabalhos tinha já colocado dezenas quilómetros de condutas para abastecer com água potável as populações das comunas
Fotografia: Arão Martins | Lubango

Com a entrada em funcionamento da nova rede de abastecimento, inserida no programa “Água para Todos”, mais de 25 mil pessoas da sede comunal vão beneficiar de água potável no domicílio, numa primeira fase.
O director provincial da Energia e Águas da Huíla, Abel João da Costa, esclareceu, durante uma visita do governador provincial, João Marcelino Tyipinge, que os trabalhos começaram no início deste ano e estão em 68 por cento da sua execução.
Abel João da Costa disse que o Governo Provincial da Huíla está a empregar 196 milhões de kwanzas no sistema de abastecimento de água potável às populações da comuna, com fundos do Programa de Investimentos Públicos (PIP).
O director disse que, a par da ampliação da rede, estão previstas 400 ligações domiciliares. Para isso, explicou, nesta fase estão a ser colocados 24 quilómetros de conduta de distribuição de água potável com um diâmetro de 250, 110 e 90 milímetros.
Até terça-feira, a empresa encarregada da execução dos trabalhos tinha já colocado 18 quilómetros de extensão de conduta, dos 24 previstos, disse o director provincial da Energia e Água. O director acrecentou que a execução dos trabalhos abrange ainda a colocação de um tanque metálico que garante a conservação de 500 metros cúbicos de água, a partir do ponto alto escolhido, junto à Cascata da Huíla.
Neste momento, cinco dos quatro furos projectados estão concluídos, precisou Abel João da Costa, acrescentando que a capacidade de armazenamento atingiu os 48 metros cúbicos por hora.  A previsão é de alcançar 50 metros cúbicos.  A­bel João da Costa esclareceu que a nascente da comuna não garante a quantidade de água necessária para abastecer as populações.
Mas, com a abertura de cinco furos, o volume de água para abastecimento vai ser maior. Para além das 400 ligações domiciliares, o projecto contempla a construção de quatro infra-estruturas colectivas, chafarizes com duplas saídas. A administradora da comuna da Huíla, Carme Duarte, disse que o projecto decorre “a bom ritmo” e acrescentou que para a colocação de condutas foram instalados contadores e torneiras em algumas casas.
A instalação de um gerador eléctrico para alimentar as bombas que fornecem a água dos furos para os reservatórios, está também incluída na obra. O governador da província anunciou que, dentro de pouco tempo, mais populares que vivem na sede comunal da Huíla são contemplados com água potável. O governador da província, João Marcelino Tyipinge, pediu à empresa executora da obra que cumpra os prazos lavrados no contrato.

Tempo

Multimédia