Províncias

Abastecimento estendido às comunas e povoações

André Amaro | Lubango

O pastor de gado João Mucanda, 49 anos, morador na localidade de Cangolo Muquipa, província da Huíla, é uma das figuras que testemunhou a inauguração, a semana passada, do sistema de captação e distribuição de água na sua zona de residência.

Para além de novos sistemas de captação e distribuição foram construídos chafarizes e lavandarias em muitas comunidades rurais
Fotografia: Arão Martins | Lubango

O pastor de gado João Mucanda, 49 anos, morador na localidade de Cangolo Muquipa, província da Huíla, é uma das figuras que testemunhou a inauguração, a semana passada, do sistema de captação e distribuição de água na sua zona de residência.
Ele e mais cerca de 500 pessoas beneficiam já de água potável de uma lavandaria comunitária, no âmbito dos esforços que o governo provincial tem envidado para implementar cabalmente o Programa “Água para Todos”, do Executivo.
Depois de dezenas de anos a consumir água de rios, poços, cacimbas e chimpacas, de fraca qualidade, João Mucanda experimentou pela primeira vez o verdadeiro “sabor” da água potável, extraída de uma bomba manual instalada na comunidade.
Envolto numa enorme expectativa, o pastor de gado uniu as duas mãos e recolheu rapidamente a água, que corria da torneira da sonda, e levou-a à boca, exclamando que “a água do fontenário era mais saborosa e mais limpa que a do rio”, disse.
João Mucanda e seu amigo Luís, outro morador da zona, sabem que este serviço vai ajudar a diminuir as dezenas de casos de doenças, como a cólera, infecções urinárias, diarreias, alergias, entre outras.
 O programa de abastecimento de água potável já beneficia 1.200.000 habitantes que residem na cidade do Lubango, com a reabilitação e ampliação do sistema de distribuição.
O governo provincial e parceiros sociais  estão a empregar cerca de 120 milhões de dólares para a reabilitação, ampliação e modernização da rede de captação, tratamento e transportação de água até ao domicílio dos citadinos.
O director provincial das Águas na Huíla, Abel da Costa, adiantou que as obras da conduta e captação principal, que tem uma extensão de 14 quilómetros, já iniciaram há cerca de um ano e a sua conclusão está prevista para este mês de Abril.
A mesma vai permitir distribuir 70 litros de água por dia a cada habitante da cidade do Lubango e ultrapassar as actuais deficiências.O responsável explicou que, de momento, está a ser instalada uma conduta provisória para permitir que enquanto decorrem as obras o abastecimento de água aos consumidores seja assegurada.
Depois da conclusão deste trabalho vai ser montada uma tubagem definitiva, fabricada em ferro e material adequado de 400 milímetros, para transportação da água em grandes quantidades, disse.

Milhões de dólares empregues
 
O Executivo já empregou, desde o início do programa “Água para Todos”, 12 milhões de dólares para a construção de sistemas de captação, armazenamento e distribuição, na província da Huíla.
De acordo com o director provincial das Águas, com o referido montante foi possível levar água potável em quantidade e qualidade às sedes municipais e comunais, assim como melhorar o saneamento básico na Huíla.
Abel da Costa afirmou que, na província da Huíla, 500 populares do meio rural têm já acesso à água potável, pela primeira vez, após a independência nacional, com a execução do programa de iniciativa presidencial “Água para Todos”.  “Conseguimos atingir uma cobertura na ordem de 43 por cento contra a percentagem de 19 por cento e superar as capacidades de distribuição de água herdadas do colono”, disse.
Nas sedes comunais, 98 por cento dos habitantes consomem água potável em qualidade e quantidade, faltando apenas as comunas do Bambe e Bonguei, no município de Chicomba, que vão ser contempladas este ano.
Segundo Abel Costa, foram construídos de raiz 700 sistemas convencionais de distribuição nas sedes municipais, comunais e em alguns sectores da província.
Os sistemas convencionais, explicou, estão equipados com uma estrutura de captação, armazenamento e distribuição com base nas ligações ao domicílio, com tubagem de plástico apropriado.
Ainda no quadro do programa “Água para Todos” foram abertos, nas comunidades rurais, 2.200 furos artesianos, equipados com bombas manuais, algumas com placas solares de alimentação de energia eléctrica.
O director provincial esclareceu que, nas outras zonas rurais, onde existem mais de 300 pessoas agrupadas em aldeias, foram instalados pontos de água e lavandarias comunitárias para melhorar o saneamento básico.
Abel Costa disse que a meta, até ao ano 2012, é de beneficiar com o projecto cerca de 80 por cento da população da província da Huíla, estimada em 3.100.000 habitantes, onde a maior parte está concentrada na capital, Lubango.

Combate à pobreza
 
A distribuição de água potável de qualidade e em quantidade às populações, sobretudo do meio rural, é uma das componentes do Programa Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza do Executivo. O director provincial das Águas da Huíla, Abel Costa, disse que nas localidades onde a água já jorra é visível no rosto das populações um semblante melhor em relação aos outros anos.
“Enquanto humanos, temos uma composição física de 53 por cento de água e, quando falta este líquido, a nossa estrutura entra em debilidade sujeita a apanhar qualquer uma das doenças de origem hídrica”, salientou.
Abel Costa adiantou que nas comunidades, onde ainda não existe água potável, são constantes as doenças como as infecções urinárias, cólera, alergias, diarreias e outras. Para tratar estas doenças, muitas famílias no meio rural são obrigadas a vender os seus bens, como os gados (bovino, caprino e suíno), assim como as reservas de sementes, situação que contribui ainda mais para a sua pobreza, referiu.

Tempo

Multimédia