Províncias

Aberto programa de alfabetização

Arão Martins| Lubango

O programa de alfabetização denominado “Sim eu Posso” foi aberto na semana finda, na Huíla, pelo vice-governador para a área Política e Social, José Arão Nataniel, com a distribuição de 325 kits compostos por meios audiovisuais, cadernos, livros, lápis de cores e outros meios.

Alfabetizadores da província da Huíla receberam meios para combater o analfabetismo
Fotografia: Arão Martins| Lubango

O programa de alfabetização denominado “Sim eu Posso” foi aberto na semana finda, na Huíla, pelo vice-governador para a área Política e Social, José Arão Nataniel, com a distribuição de 325 kits compostos por meios audiovisuais, cadernos, livros, lápis de cores e outros meios.
A assessora do Programa “Sim eu Posso” na Huíla, Ângela Aguilar, disse que o programa de alfabetização constitui “um desafio para o país, por dar a oportunidade de aprender a ler e escrever. O analfabetismo tem implicações graves no bem-estar das famílias, por ser uma barreira na gestão económica”.
Ângela Aguilar explicou que, para se atingirem os objectivos preconizados, vão ser utilizados métodos e técnicas aplicadas em vários países do mundo, para contribuir rapidamente na redução do índice de analfabetismo.
O vice-governador para a área Política e Social, José Arão Nataniel, esclareceu que o programa “Sim eu Posso” é o método que se usa para a alfabetização, no sentido de se atingir com rapidez os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio,  relativamente ao ensino da população iletrada. Os indicadores do analfabetismo a nível do país e da província da Huíla evoluíram significativamente, por estar a diminuir a população a alfabetizar. “Em 1985, a população a alfabetizar estava acima dos 80 por cento. Hoje, a cifra caiu para 30 por cento, fruto das políticas adoptadas e aplicadas pelo Governo de Angola.”
Com a disponibilização de meios, recursos financeiros para liquidar as contas com os professores, construção e edificação de infra-estruturas que visam acolher maior número de alunos fora do sistema de ensino, os resultados são positivos.
Na Huíla, o Governo Provincial tem estado a realizar acções, o que permitiu aumentar o número de alunos dentro do sistema de ensino. Há cinco anos, a província matriculava 500 mil alunos no subsistema de ensino, hoje, o número passou para 724 mil crianças incorporados no sistema de ensino.
José Arão Nataniel disse que o número de turmas ao ar livre também diminuiu, devido à construção de infra-estruturas para albergar os alunos que antes não tinham condições para poderem estudar.
“Os investimentos com a aquisição de material didáctico são uma realidade. Por isso, testemunhou-se a entrega de meios visuais, cadernos e outros meios de suporte e apoio didáctico, para que a tarefa do professor seja realizada de forma efectiva”, disse.

Tempo

Multimédia