Províncias

Activistas sociais na Huíla apuram técnica pedagógica

André Amaro | Lubango

Ao todo, 64 educadores, activistas e vigilantes sociais admitidos na Função Pública, no sector da Assistência e Reinserção Social, na província da Huíla, estão a ser dotados de conhecimentos em técnicas psico-pedagógicas, para apoiarem os grupos de crianças vulneráveis, idosos e pessoas com deficiências especiais.

Ao todo, 64 educadores, activistas e vigilantes sociais admitidos na Função Pública, no sector da Assistência e Reinserção Social, na província da Huíla, estão a ser dotados de conhecimentos em técnicas psico-pedagógicas, para apoiarem os grupos de crianças vulneráveis, idosos e pessoas com deficiências especiais.
O vice-governador da Huíla para área Política e Social, José Arão, afirmou que a entrada destes quadros na Função Pública visa a humanização e melhoria da qualidade dos serviços prestados aos cidadãos.
A estratégia de inclusão social adoptada pelo sector da Reinserção Social, para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, disse, tem resultados positivos, com a aplicação de acções inovadoras. />José Arão disse que é fundamental que os novos quadros consigam pôr em prática os conhecimentos e técnicas ministradas, para corresponderem com às expectativas da população vulnerável.A directora província da Assistência e Reinserção Social na Huíla, Catarina Manuel, assegurou que a formação visa agregar conhecimentos aos novos quadros.
Durante cinco dias, sob orientação de especialistas do sector, os formandos vão abordar temas como “A Lei da Probidade Administrativa”, e a “Integração de Pessoas Portadora de Deficiência”. Do programa constam também “noções básicas sobre Legislação Laboral”, e “O perfil da vigilante de infância e do Educador Pré-Escolar”.

Tempo

Multimédia