Províncias

Administração trava abandono de obras sociais

Arão Martins| Lubango

O administrador municipal do Lubango, Francisco Barros, disse sábado que o abandono de obras por parte de empreiteiras está a preocupar as autoridades, pelo que o combate a essa prática é uma das apostas da instituição.

Administrador Francisco Barros constatou que na comuna da Huíla o empreiteiro abandonou as obras de construção de casas sociais
Fotografia: Arão Martins | Lubango

Francisco Barros falou no termo de uma visita à comuna da Huíla, onde constatou que a construção de 100 casas sociais que estavam a ser erguidas pela empresa Transafrica, está paralisada.
Embora a situação preocupe a Administração, o responsável descartou, para já, encaminhar o caso às instâncias judiciais, dando prioridade ao diálogo.
A obra, adjudicada em 2012, está bastante atrasada. Em breve, o empreiteiro e todos os elementos envolvidos no processo são notificados, para que se possa encontrar um juízo comum.
A construção das casas é uma iniciativa presidencial, que é realizada no quadro do Programa de Fomento Habitacional e a sua execução é vital para o bem das populações.
A população também está preocupada com a construção das casas, uma vez que o projecto, com término previsto para o ano passado, ainda nem atingiu 15 por cento da sua execução.
O administrador municipal adiantou que as autoridades provinciais, na pessoa do governador João Marcelino Tyipinge, têm feito tudo para que os contratos sejam respeitados, no sentido de garantir que as obras de impacto social sejam entregues a seu tempo. 
No quadro dos programas de combate à pobreza e de investimentos públicos, a Administração Municipal do Lubango está a construir escolas, postos médicos e a ampliar o sistema de abastecimento de água potável.
O loteamento e a distribuição de terrenos, para a autoconstrução dirigida, devem ser também acompanhados com o ritmo de desenvolvimento.

Comuna da Huíla

A administradora comunal da Huíla, Cármen Duarte, disse que o crescimento na comuna é notável, na medida em que apresenta um rosto mudado e que melhor dignifica a imagem da localidade.
Os programas de construção de escolas, hospitais e estradas mostram bem este quadro de mudança na qualidade de vida das populações.
Antes do advento da paz, a comuna da Huíla apresentava um número reduzido de infra-estruturas no domínio da educação, saúde e vias de acesso, um cenário que ficou para trás, em função dos esforços das autoridades.
 A Administração Comunal está à espera do veredicto final das autoridades municipais do Lubango, com quem a empreiteira celebrou o contrato, em função de um estudo sobre o atraso e do abandono das obras de impacto social.
 A construção e asfaltagem da estrada que liga o Quilómetro 16 à comuna da Palanca, no município da Humpata, passando pela comuna da Huíla, são apontadas como outros dos principais ganhos que a localidade beneficia com o alcance da paz.  Este ano estão ainda em curso a construção de escolas e postos médicos no Quilómetro 14 e na sede da comuna, além do surgimento de sistemas de energia.

Tempo

Multimédia