Províncias

Adultos da Chibia estão empenhados em aprender a ler

João Katombela | Chibia

Um total de 1.540 adultos foi alfabetizado, nos três primeiros módulos, durante o ano passado no município da Chibia, província da Huíla, revelou o chefe interino da repartição local da Educação.

Um total de 1.540 adultos foi alfabetizado, nos três primeiros módulos, durante o ano passado no município da Chibia, província da Huíla, revelou o chefe interino da repartição local da Educação.
José Vunda disse que os adultos do município, na sua maioria do sexo feminino, receberam formação no âmbito do Programa “Alfabetizar para gostar de ler e escrever”, iniciado há cinco anos.
Por se tratar de um grupo composto maioritariamente por trabalhadores, as aulas de alfabetização são ministradas entre as seis as oito horas, para permitir que os alfabetizandos possam, depois, desenvolver outras tarefas.
Este ano, a repartição municipal de Educação da Chibia já registou a inscrição de 260 alfabetizandos, número que pode aumentar, tendo em conta que o processo de ingresso termina apenas na primeira quinzena de Fevereiro.
Fruto destes avanços que o programa de alfabetização regista, as autoridades do município da Chibia afirmaram estar satisfeitas e garantem maiores esforços para que se atinjam os objectivos preconizados, até 2017, de erradicação do analfabetismo.
O chefe interino da repartição municipal lamentou o preconceito reinante entre os homens, no que diz respeito à participação nas salas de alfabetização, “como se esta necessidade de aprender a ler e a escrever na idade adulta fosse apenas das mulheres. Os homens devem pautar por uma conduta diferente e não a que observamos”.
O responsável encorajou as autoridades tradicionais da região a continuarem a procurar as salas de alfabetização para aprenderem a ler e a escrever, uma vez que a liderança requer muitos conhecimentos por parte de quem comanda um povo ou grupo de pessoas. Encorajou as autoridades a continuarem a assistir as aulas de alfabetização.
Para garantir o pleno funcionamento do programa, a repartição municipal da Educação, em parceria com a secção de ensino de adultos, conta com o apoio das igrejas e de alguns militantes da JMPLA.

Tempo

Multimédia