Províncias

Agricultores da Chibia receberam ferramentas

Arão Martins | Lubango

Agricultores e camponeses associados, que exploram os campos de cultivo ao longo do canal de irrigação das Ganjelas, município da Chibia, estão a receber instrumentos de trabalho, no âmbito do crédito “Campanha do Banco Sol”.

Agricultores e camponeses associados, que exploram os campos de cultivo ao longo do canal de irrigação das Ganjelas, município da Chibia, estão a receber instrumentos de trabalho, no âmbito do crédito “Campanha do Banco Sol”.
O responsável da Estação de Desenvolvimento Agrário (EDA) na Chibia, Francisco Macedo, informou que 120 beneficiários estão a receber motobombas, mangueiras, moagens, charruas, sementes de hortaliças e pulverizadores, insecticidas e adubos.
Na primeira fase estão abrangidos 110 associados da Sogangela e dez da Comuna do Jau representados por oito cooperativas e cinco associações.
Uma equipa do Banco Sol avaliou a execução do programa no município da Chibia. A administradora para a área Técnica da Sociedade Gestora do perímetro das Ganjelas, Josefa Silva, disse que com a entrega de equipamentos, sementes e instrumentos de trabalho, os produtores vão aumentar os níveis de produção.
A área total do perímetro é de 6. 220 hectares. Josefa Silva afirmou que no princípio, o cultivo abrangeu uma área piloto com a inclusão de 70 utentes. Com o redimensionamento dos lotes, o número aumentou para 77 beneficiários.
Desde o início do projecto-piloto foram plantadas 34.615 fruteiras, sendo 74 hectares para laranjeiras e nove para tangerineiras. Foram ainda plantados sete hectares de mangueiras, três hectares de goiabeiras e limoeiros.
Josefa Silva referiu que nos lotes foram plantados 26.874 laranjeiras, 2.626 mangueiras, 3.632 tangerineiras, 1.064 goiabeiras e 1.019 limoeiros.
 A administradora para a área técnica da SOGANGELAS, Josefa Silva, explicou que decorre no município o processo de expansão do perímetro irrigado com mais de 513 hectares, com o envolvimento dos agricultores e camponeses.
Josefa Silva sublinhou que do total do perímetro 60 por cento é destinado à produção de frutícolas.
Dentro de cinco anos, prevê uma produção de 48 mil toneladas de produtos com a expansão dos lotes ao longo do canal de irrigação das Ganjelas, sendo 20 mil toneladas hortícolas, duas mil de cereais e 25 mil de frutícolas.

Tempo

Multimédia