Províncias

Agricultores têm condições para produzir e conservar

André Amaro | Lubango

Uma nova e moderna tecnologia de irrigação está a ser utilizada pelos agricultores do perímetro da Matala, para produção em grande escala na presente época agrícola. 

Executivo quer aumentar a produção e está a desenvolver um conjunto de projectos destinados a permitir atingir esse objectivo
Fotografia: Arimateia Baptista| Lubango

Uma nova e moderna tecnologia de irrigação está a ser utilizada pelos agricultores do perímetro da Matala, para produção em grande escala na presente época agrícola. 
Numa primeira fase, a Sociedade de Desenvolvimento da Matala (SODMAT), em parceria com os camponeses associados, adquiriram dois novos sistemas para irrigar 30 hectares. O director técnico da SODMAT, Carlos Ferreira, disse que se trata de um sistema moderno utilizado em quase todo o mundo para a produção agrícola em dimensão industrial.
 O sistema, orçado em 200 milhões de kwanzas, tem capacidade para irrigar em simultâneo 60 hectares de forma constante, sem dependência de chuvas.
 A nova tecnologia, referiu, funciona como uma motobomba que capta a água do canal de irrigação e bombeia para as torres e movimenta-se de forma circular, regando as plantas em forma de chuveiro.
 O responsável disse que neste momento os novos sistemas estão a ser usados para irrigar 30 hectares de cultura de feijão e leguminosas, atendendo a que os meses de Maio a Julho são propícios ao seu cultivo.

Agricultores empenhados

Os agricultores do perímetro irrigado da Matala estão a trabalhar também no cultivo da batata, alho, cebola, tomate, repolho e couves, numa extensão de cinco mil hectares.
 Carlos Ferreira sublinhou que das culturas feitas esperam colher, no princípio do mês de Agosto, cerca de 25 mil toneladas de produtos diversos, correspondendo um hectare a cinco toneladas. Assegurou que depois da cultura do feijão vem a do milho, cujas sementes começam a ser lançadas nos finais do mês de Agosto e princípios de Setembro. Francisco Domingos, agricultor do perímetro irrigado da Matala, esclareceu que a actividade agrícola a nível desta região está a conhecer uma nova era de modernização que está a ser implementada pelo novo Conselho de Administração da SODMAT-SA.
       Além destas condições, prosseguiu, há ainda 42 quilómetros do canal de irrigação, que permite desenvolver a actividade agrícola fora do tempo chuvoso.  A produção da batata constitui o lado forte dos agricultores da região, disse Francisco Domingos, mas lembrou que a falta de mercado e espaços suficientes para a conservação tem levado à redução da produção, para prevenir eventuais prejuízos. As câmaras frigoríficas da SODMAT- SA têm capacidade de conservar 1.300 toneladas e a produção está acima das 20 mil. Os principais comerciantes são do Lubango, Benguela e Luanda.
 O agricultor Marcelino Copengala, que há mais de dez anos explora uma parcela de dois hectares no perímetro irrigado da Matala, afirmou que os produtores estão incentivados com as condições de produção e conservação criadas.  Na presente época, o agricultor espera colher 30 toneladas de batata e disse não estar muito preocupado com a comercialização dos seus produtos, porque dispõe de espaço para a conservação.

 SODMAT cria condições 

Criadas que estão as condições de produção e conservação, Marcelino Copengala apela às autoridades para a criação de métodos de comercialização dos produtos, para que os agricultores se sintam motivados em aumentar a produção.
 A sociedade está a criar condições básicas para que os agricultores possam garantir a produção agrícola de cereais, hortícolas e leguminoso em grandes quantidades.
 A SODMAT-SA dispõe de um silo com capacidade de 12 mil toneladas, câmaras frigoríficas com capacidade para 1.300, um parque de quatro máquinas de lavrar e dois novos sistemas de irrigação. Carlos Ferreira afirmou que os agricultores têm as condições criadas para produzirem anualmente cerca de 100 mil toneladas de alimentos diversos.
 O Executivo está preocupado em aumentar a produção local e, por isso, está a implementar um conjunto de projectos para a materialização desta iniciativa.
 Agora que estão criadas as condições mínimas de produção agrícola e de conservação dos produtos, o próximo passo é a adopção de estratégias que visem o escoamento e comercialização dos produtos, disse.
 As políticas que visam a activação do comércio rural já estão a ser executadas pelo Executivo e nos próximos tempos o município da Matala também é contemplado, no sentido de incentivar a produção, garantiu.
 
Novos postos de trabalho

 
Carlos Ferreira adiantou que no município da Matala, a 180 quilómetros do Lubango, foram criados 130 novos postos de trabalho para a juventude, com a concretização de diversos projectos do ramo da agropecuária. O director da SODMAT frisou que estes empregos foram criados graças à construção dos silos, parque de máquinas agrícolas e câmaras frigoríficas.  Os jovens empregados nas áreas técnicas como electricidade, mecânica e gestão de armazéns beneficiaram de formação nas respectivas especialidades, salientou.

Tempo

Multimédia