Províncias

Água com grandes investimentos

Domingos Mucuta | Lubango

O director provincial da Energia e Águas da Huíla disse, no Lubango, que os níveis de abastecimento de água potável às populações vão conhecer melhorias consideráveis em breve.

Número de litros de água disponível para cada pessoa por dia no Lubango está abaixo do mínimo recomendado pela OMS
Fotografia: Arimateia Baptista | Huíla

O número de litros de água disponível para cada pessoa por dia a nível da cidade do Lubango está abaixo do padrão mínimo recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), disse  Abel da Costa, que referiu investimentos importantes nas zonas urbanas a curto prazo pelo Governo provincial no sector do abastecimento de água potável.
O director provincial da Energia e Água falava no termo de um encontro com uma comitiva do Banco Mundial.
Abel da Costa informou que actualmente as três estações de captação da cidade do Lubango bombeiam cerca de 550 metros cúbicos de água por hora.
“A cobertura de água potável ainda não satisfaz as necessidades”, disse Abel da Costa, para sublinhar que, em função disso, há uma grande necessidade de financiamento do Banco Mundial para a dinamização do projecto. “O Governo Provincial da Huíla realizou já 16 acções de prospecção, com vista a identificar novos lençóis freáticos no planalto da Humpata.”
Com estas acções, acrescentou o director provincial da Energia e Água, o futuro é animador. “O projecto de reabilitação do sistema de distribuição da água potável está numa fase avançada, com grande incidência no centro da cidade, numa extensão de 30 quilómetros.” No âmbito destas acções,  o governador da Província da Huíla, João Marcelino Tyipingue, e o gestor de projecto do Banco Mundial, Luís Tavares, colocaram a primeira pedra  no projecto de expansão para os bairros periféricos do Lubango.Esta acção vai abranger 50 quilómetros de extensão e permitir 4.600 ligações domiciliárias nos bairros de Mitcha, Comercial, Lucrécia e A Luta Continua.

Parceria abrangente
 
O director provincial da Energia e Água disse que o Governo da Huíla pretende uma parceria abrangente com o Banco Mundial que se estenda não só ao domínio da água, mas do saneamento, agricultura e ambiente. O gestor de projecto de água e saneamento do Banco Mundial manifestou  disposição da instituição financeira em apoiar os projectos a nível nacional e aconselhou a criação da empresa local de água, por abrir grandes possibilidades de financiamento e de melhor gestão dos recursos hídricos e financeiros.  Luiz Tavares disse que o Banco Mundial está interessado em financiar projectos que visam a melhoria do indicador de litros de água por pessoa na província da Huíla, neste momento avaliada em 24 litros por pessoa, inferior aos 40 litros mínimos recomendados pela Organização Mundial de Saúde.
O governador João Marcelino Tyipingue sublinhou que a província da Huíla está a construir junto do Laboratório de Controlo de Qualidade da Água, no Lubango, o futuro edifício da empresa pública do sector da águas.  Durante a visita, o representante do Banco Mundial inaugurou quatro sistemas de captação e distribuição de água potável, nos bairros da Mitcha e Cambambe, um investimento de 40 milhões de kwanzas.

Novos sistemas

Os novos empreendimentos, que funcionam com painéis solares, beneficiam mais de 60 mil pessoas, que antes utilizavam água não tratada retirada de cacimbas. A delegação do Banco Mundial e os membros do Governo Provincial da Huíla plantaram cerca de 100 árvores  na reserva fundiária da Direcção Provincial das Águas, na Humpata.

Tempo

Multimédia