Províncias

Água potável jorra na comuna da Quihita

Estanislau Costa| Chibia

O novo sistema de captação, tratamento e distribuição de água potável erguido no âmbito da materialização do programa “Água Para Todos” em vários pontos da província da Huíla vai contemplar mais de dois mil populares e um número considerável de gado da comuna da Quihita.

O sistena inaugurado pelo governador da província possui capacidade para bombear dezenas de metros cúbicos por hora
Fotografia: Arimateia Baptista| Chibia

O sistema inaugurado pelo governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, possui uma capacidade de bombear 30 metros cúbicos por hora para dois reservatórios e abastecer água às casas da vila, a três chafarizes e lavandarias.
A conduta tem 800 metros de extensão e está em condições de aumentar a quantidade de água de dezenas de bebedouros para o gado espalhado por vários pontos da vila. O Executivo investiu para cima de 72 milhões de kwanzas.
O governador João Marcelino Tyipinge, em virtude das quedas pluviométricas não serem regulares nas duas últimas épocas, aconselhou os camponeses a aproveitarem bem a água existente na circunscrição para o cultivo agrícola.
O governador dirigiu-se à juventude da Chibia e da província em geral, aconselhando a não se acomodarem e esperarem que os pais e autoridades façam tudo para o seu bem-estar. “É preciso ter iniciativas e procurar a formação para corresponder às necessidades do país e tornar possível o desenvolvimento”, disse o responsável. O soba Francisco Pataka, de uma povoação da comuna da Quihita, referiu que a entrada em funcionamento do sistema de captação, tratamento e distribuição de água fortalece a capacidade de abastecimento para a população e animais, assim como tranquiliza os criadores de gado.
As chuvas foram muito irregulares na região na época passada, disse. Por isso, o rio Caculuvar não recebeu quantidades suficientes de água para servir os animais da zona sul do município da Chibia e da parte norte dos Gambos. “A solução está na abertura de furos equipados.”
As autoridades devem a­postar mais na abertura de furos e construção de chimpacas e represas de água das chuvas e do rio Caculuvar, para servirem de alternativa nas épocas de chuvas irregulares, disse o soba.
O gado e a agricultura de subsistência são as principais actividades dos habitantes e dependem muito das chuvas.

Reabilitação da estrada

A estrada secundária que liga a sede da Chibia à comuna do Jau está a ser reabilitada em mais de 25 quilómetros por uma construtora local. O Jornal de Angola apurou que perto de 15 quilómetros estão neste momento concluídos.
A empreiteira está a construir várias pontes e pontecos para evitar que os riachos que enchem nas épocas das chuvas inviabilizem a circulação. Os automobilistas congratulam-se com as obras do troço porque evitam desgastes nos veículos e facilitam as viagens entre as duas vilas. O taxista Fernando Cambuale apelou às autoridades a prosseguirem o programa de reabilitação das vias secundárias e terciárias para melhorar as trocas comerciais entre o campo e a cidade.
“Os camponeses têm interesse em escoar os seus produtos para as cidades e, por sua vez, a cidade fica mais ligada ao campo. Isso faz-se melhor com boas vias.”

Tempo

Multimédia