Províncias

Alfabetizadas centenas de mulheres

Arão Martins | Lubango

Mais de 600 mulheres da localidade de Freixiel, município da Matala, a 200 quilómetros da cidade do Lubango, foram, em 2010, alfabetizadas pela escola “Melica” afecta à Igreja Católica, disse, ao nosso jornal, a directora do estabelecimento.

Mais de 600 mulheres da localidade de Freixiel, município da Matala, a 200 quilómetros da cidade do Lubango, foram, em 2010, alfabetizadas pela escola “Melica” afecta à Igreja Católica, disse, ao nosso jornal, a directora do estabelecimento.
A irmã Arminda Bendrão afirmou que as mulheres, além de aprenderem a ler e a escrever, adquiriram conhecimentos sobre saúde e higiene no lar.
A instituição, referiu, começou a trabalhar com duas salas de alfabetização para as mulheres da localidade de Capelongo.
“Com a ajuda do governo local, a escola foi ampliada para oito salas, onde são leccionadas também aulas do ensino primário ao secundário do Iº ciclo. A instituição foi apetrechada com novas carteiras e quadros pretos.
Em 2010, frequentaram as aulas 904 alunos, desde o ensino primário ao secundário do I ciclo. Este ano, estão matriculados 1.010.
“A escola foi criada com base nos direitos das crianças, proporcionando um clima de ensino e aprendizagem de qualidade, seguro e protector, sensível, promotor de saúde, higiene e da participação da comunidade”, disse.
Ao todo, anunciou, dois mil alunos vão, este ano, ser inseridos no sistema normal de ensino, na comuna de Capelongo, como resultado da construção e reabilitação de duas escolas de seis salas. O administrador comunal de Capelongo declarou que, em 2010, foram matriculados oito mil alunos.
Neste ano, disse, estão matriculados dez mil no ensino geral. Tiago Cahingona afirmou que é objectivo da administração comunal inserir mais alunos que se encontram fora do sistema normal de ensino e que para isso vão ser construídas mais escolas, muitas delas com carácter definitivo, para os resultados, em 2012, serem ainda mais satisfatórios.

Hospital necessita de quadros

O hospital comunal de Capelongo precisa de 45 técnicos para atender às necessidades da localidade, que dista 200 quilómetro da cidade do Lubango.
O responsável da secção municipal da Saúde da Matala, Daniel Cambangula, afirmou, ao Jornal de Angola, que o hospital tem 31 enfermeiros e apenas médico, o que é pouco para um estabelecimento tido como de referência na região leste da província. A malária e as doenças diarreicas agudas são as enfermidades mais frequentes.

Tempo

Multimédia