Províncias

Alunos de Caconda têm escola modelo

Domingos Mucuata | Lubango

Alunos do primeiro e segundo ciclos no município de Caconda, na Huíla, frequentam, neste ano lectivo, aulas na escola modelo, a terceira construída na província para admitir maior número de crianças no sistema de ensino.

Autoridades municipais continuam empenhadas em melhorar o ensino na Caconda e por isso constroem mais estabelecimentos
Fotografia: Domingos Mucuata | Lubango

A escola modelo custou 240 milhões de kwanzas, financiados pelo Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento e Combate à Pobreza, com capacidade para acolher 2.400 alunos. Dispõe de 20 salas e laboratórios para as disciplinas de química, física e biologia. Denominada Escola Alfredo Chipelepepe, conta ainda com um auditório, anfiteatros, com capacidade para 300 pessoas, jangos, bibliotecas, pátios, campos desportivos polivalentes e gabinetes administrativos.
O director das Obras Públicas, Ima Panzo, disse que o governo prevê construir escolas modelo em todos os municípios da província da Huíla com o objectivo de acabar com as instalações precárias que ainda existem.
Está prevista para este ano a construção de 20 salas nos municípios do Lubango, Caluquembe e Quilengues, numa altura em que Jamba, Matala e Caconda já dispõe de uma escola modelo.O director da repartição da Educação de Caconda, João Manuel Correia,disse que a abertura da escola vai permitir reduzir de oito mil para seis, o número de crianças fora do sistema de ensino. O município de Caconda, há 230 a norte da cidade do Lubango conta com 18 escolas de construção definitiva que acolhem este ano lectivo 200 mil alunos, da iniciação à 12ª classe.
O sector da Educação, salientou, conta com mais de mil professores, mas disse ser necessário o enquadramento de pelo menos 250 novos docentes e pessoal administrativo, além de 50 escolas.

Tempo

Multimédia