Províncias

Anunciada a reabilitação de algumas vias terciárias

Domingos Mucuta| Jamba

Algumas das vias terciárias da Huíla começam a ser recuperadas em 2013 para ligarem localidades do interior à rede rodoviária nacional, anunciou ontem, na Jamba, o coordenador da comissão de gestão do Instituto de Estradas (INEA).

Algumas das vias terciárias da Huíla começam a ser recuperadas em 2013 para ligarem localidades do interior à rede rodoviária nacional, anunciou ontem, na Jamba, o coordenador da comissão de gestão do Instituto de Estradas (INEA).
Molares D’Abril, que fez o anúncio na cerimónia de adjudicação das obras do troço Colui/sede municipal da Jamba, que se vão realizar no quadro do programa de reabilitação de infra-estruturas da rede fundamental de estradas, salientou que a medida vai facilitar o escoamento de produtos.
A reabilitação da estrada secundária entre Colui e a Jamba, referiu, faz parte da estratégia de criação de condições que facilitem o acesso e garantam maior segurança aos projectos de exploração de ferro e de ouro no município.
O programa, afirmou, inclui a substituição de pontes provisórias por estruturas definitivas e a criação de equipas de manutenção em todo o país que garantam as ligações por estrada e o rápido desenvolvimento das localidades do interior.
Molares D’Abril anunciou igualmente estar para breve o início das obras de asfaltagem de 105 quilómetros da estrada entre a vila da Jamba e Tchamutete, localidade com reservas de ferro e de ouro.
O vice-governador da Huíla para a área técnica e de infra-estruturas, Nuno Mahapi, referiu a importância da reabilitação rodoviária pelo “enorme impacto” que tem na dinamização dos sectores económico e social.

Lavras escolares

 O governo da Huíla vai incentivar a criação de lavras junto das escolas nas zonas rurais, no próximo ano lectivo, para diminuir a carência de alimentos durante a estiagem.
 O facto foi anunciado esta semana à imprensa, no município da Chibia, pelo vice-governador da Huíla para o sector político e social, José Arão,   no âmbito da entrega de bens alimentares às populações afectadas pela estiagem nos municípios dos Gambos e da Chibia.
 José Arão lembrou que a questão da seca não é nova na Huíla. A província tem relevos díspares e os municípios são muito extensos, com uma população diferenciada.
 Disse que em algumas regiões da província a população dedica-se à agricultura, mas na região dos Gambos, Chibia e Quilengues a actividade primária é a criação de gado bovino.
“A população não tem, nas suas prioridades, a questão da agricultura, pois ela é feita de forma de subsistência e quando acontecem estas situações de estiagem escasseiam-se também os alimentos, uma situação agravada com a escassez de chuvas, este ano”.
Destacou que, sendo um compromisso do Executivo apoiar a população mais necessitada, em função da realidade de cada município, vão ser adoptadas estratégias para, num futuro breve, encontrar soluções que mitiguem não só os efeitos da estiagem, mas também melhorem as condições de vida da população.
 “A nível das comunidades, estamos a estudar a possibilidade de, no próximo ano lectivo, motivar a criação de lavras nas escolas do meio rural” , disse o vice-governador.
 Segundo o vice-governador, um técnico formado na área de agricultura vai ser colocado à disposição da escola rural para ensinar como tratar da horta e como tratar da lavra, com a participação dos alunos.

Tempo

Multimédia